Missa dos Santos Óleos 2018

Missa dos Santos Óleis - 29 de Setembro 2018
Foto: Flávio Calderon (Pascom – Itobi)

A Missa dos Santos Óleos ou Crismal é a Festa da Unidade. Os padres reunidos com o seu Bispo, os ministérios, carismas, religiosos(as), novas comunidades, pastorais, movimentos e serviços. Hoje é o dia da instituição do Sacerdócio Católico e da Eucaristia (na Santa Ceia do Lava-pés). O clero renova as promessas sacerdotais, reafirma sua vocação, consagração e missão: Hoje se cumpriram as Escrituras que acabastes de ouvir. O Espírito do Senhor está sobre mim, Ele me consagrou com a unção, Ele me enviou para proclamar a Boa-nova e anunciar o Ano da graça do Senhor.

O sacerdócio ministerial é dom, conferido aos Apóstolos e transmitido a seus sucessores, os Bispos, e seus colaboradores. Cristo vive e age no padre. O padre gera a Igreja pelo Batismo e o alimenta pela Palavra e a Eucaristia em seu zelo pastoral, pois sua vida é consagrada ao serviço do Povo de Deus. Seu ministério anima e coordena os ministérios leigos.

Neste Ano do Laicato vemos que os ministérios leigos colaboram com o ministério ordenado e expressam a fecundidade do sacerdócio batismal, chamado fundamental dos fiéis leigos. O batismo faz a Igreja toda ministerial, rica de ministérios e serviços. Os leigos, pelo sacerdócio batismal, vivem a vida cristã no mundo como sal, luz e fermento, santificando a realidade em que vivem: família, trabalho, escola, política, economia, etc.

A Missa dos Santos Óleos abençoa os óleos dos catecúmenos e dos enfermos e consagra o Óleo do Santo Crisma.

Óleo dos Catecúmenos dá a força do Espírito Santo àqueles que serão batizados, para que lutem ao lado de Cristo contra o Espírito do mal.

Óleo dos Enfermos é um sinal sensível do sacramento da Unção dos Enfermos que traz o conforto e a força do Espírito Santo para o doente no momento de seu sofrimento. O doente é ungido na fronte e na palma das mãos.

Stº Crisma: óleo perfumado com bálsamo, utilizado nas unções de consagração:

  • No Batismo: depois da imersão nas águas do B, o batizado é ungido na fronte;
  • Na Confirmação é o símbolo principal da consagração, com a unção na fronte;
  • Na Ordenação Episcopal, sobre a cabeça do novo bispo;
  • Na Ordenação Presbiteral, na palma das mãos do néo-sacerdote.

O óleo também é usado em outros ritos de consagração, a dedicação da Igreja, a consagração de altar, espalhando o Santo Crisma sobre o altar e as cruzes das paredes laterais das igrejas. O Santo Crisma recorda a vinda do Espírito Santo, que penetra as pessoas como o óleo impregna quem o toca. Ele unge as pessoas com a unção real, sacerdotal e profética de Jesus Cristo.

Os Santos Óleos, em especial o Santo Crisma, têm caráter sacramental. Antigamente, os Óleos eram guardados dentro de um pequeno sacrário, como sinal de respeito. Depois de usado, deve ser queimado. Não se benze óleo pela rádio e nem nas missas para as pessoas levarem para casa a ungir doentes. A finalidade dos Santos Óleos é ligada aos sacramentos.

A bênção e entrega do santo óleo pelo bispo significa que o ministério dele se prolonga no ministério do presbítero na paróquia. O padre é servidor da comunhão eclesial. Esta comunhão dever ser vivida em cada paróquia e, especialmente, entre os presbíteros como uma família. Os santos óleos celebram a unidade, pois é na comunhão do presbitério que eles são gerados e, levados daqui para as suas paróquias, serão também administrados em plena comunhão.