IIº Domingo da Páscoa: A Comunidade

Este Domingo da Misericórdia mostra a Comunidade Nova que nasce da Cruz e da Ressurreição de Jesus: a Igreja, e nos convida a viver a fé em Cristo Ressuscitado em nossas Comunidades.

At 4, 32-35 mostra que a Páscoa acontece na vida da Comunidade. Lucas descreve a comunidade cristã de Jerusalém, como comunidade ideal, modelo de Igreja de todas as épocas: É uma Comunidade formada por pessoas diversas, mas que vivem a mesma fé num só coração e numa só alma. Da adesão a Jesus resulta, obrigatoriamente, a comunhão e a união de todos os irmãos da comunidade. – É uma Comunidade que partilha os bens. Da comunhão com Cristo e dos cristãos entre si, resultamimplicações práticas: a renúncia a qualquer tipo de egoísmo, de auto-suficiência e uma abertura de coração para a partilha, para o dom, para o amor. Tudo entre eles era posto em comum, entre eles ninguém passava necessidade. É uma comunidade que testemunha o Senhor Ressuscitado. Viver de acordo com os valores de Jesus é a melhor forma de anunciar e de testemunhar que Jesus está vivo. Assim, os fiéis eram estimados por todos, e crescia o seu número a cada dia.

1Jo 5,1-6 afirma que a Páscoa acontece quando amamos a Deus e praticamos os mandamentos.

Jo 20,19-31 mostra que a Páscoa continua acontecendo, quando todos enfrentam os seus medos, partilhando na Comunidade a fé e as experiências da vida. – São dois encontros da nova Comunidade com o Cristo Ressuscitado: uma sem Tomé e a outra com Tomé. – A presença de Jesus, vivo e ressuscitado, acompanha a sua Igreja: Os Apóstolos estão reunidos, mas trancados e dominados pela incredulidade, pela tristeza e pelo medo. As portas trancadas mostram medo e insegurança de quem aguarda por melhores dias de justiça e de paz. O Ressuscitado derruba as trancas e restaura a Paz e a alegria, saudando-os três vezes: A Paz esteja com vocês!

Jesus inicia uma nova Criação com o dom do Espírito Santo: soprou sobre eles como Deus na criação do homem (Gn 2,7), dizendo: Recebei o Espírito Santo! O Senhor Ressuscitado inicia um Mundo Novo e inaugura um Novo Israel: discípulos que crêem em Cristo e testemunham a Ressurreição.

Jesus institui a Penitência: Aqueles a quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, ficarão retidos. Uma vez perdoados, são enviados a perdoar em nome de Deus. É um Sacramento tipicamente Pascal: nascido num clima de alegria e de vitória. A reconciliação e a Paz que o Ressuscitado nos comunica expressam a sua Divina Misericórdia.

Confia a Missão: Como o Pai me enviou, assim eu vos envio! Continua acreditando neles, conta com eles, apesar de tudo. Na Missão, Ele conta também conosco, apesar de tudo.

O Primeiro Dia da Semana marca um novo tempo após a Morte e Ressurreição, começa o Dia do Senhor, o Domingo. Para o Domingo ser o Dia do Senhor significa que Jesus está no Centro da Comunidade, onde todos vão beber essa Vida que lhes permite vencer o medo e a hostilidade do mundo. É a Videira ao redor da qual se enxertam os ramos.

Tomé, incrédulo na promessa de Cristo e na palavra dos colegas, é o protótipo dos que não valorizam o testemunho comunitário e exemplo dos que querem ser cristão sem Igreja. Como se chega à fé em Cristo Ressuscitado? A Comunidade é o lugar natural onde se manifesta e irradia o amor de Jesus. Longe da comunidade, Tomé não acreditou na palavra de Jesus, nem dos colegas. Sua fé se reacendeu, quando no Dia do Senhor voltou à Comunidade e fez um belo ato de fé: Meu Senhor e meu Deus! E Cristo acrescentou: Felizes os que acreditam sem ter visto! Tomé hoje é quem vive afastado da Comunidade, sem perceber os sinais de vida que nela se manifestam.

Como catequese sobre o Domingo, as celebrações dominicais da comunidade primitiva mostram que nossa experiência pascal se renova a cada Domingo, nas mesas da fraternidade, da Palavra e da Eucaristia. A Comunidade Pascal torna-se um só coração e uma só alma.

Que a Divina Misericórdia que hoje celebramos renovem e fortaleçam o empenho em nossa missão de discípulos missionários de Jesus Ressuscitado.

 

Dom Antonio Emidio Vilar, SDB