Domingo da Ascensão do Senhor: Ide e Evangelizai!

A Ascensão é parte do Mistério Pascal de Cristo. Não é uma simples reportagem histórica, mas mensagem de fé: ao terminar a missão terrena de Jesus inicia-se a missão da Igreja.

O Início dos Atos dos Apóstolos mostra que os ensinamentos e as ações de Jesus continuam nos ensinamentos e nas ações da Igreja: 40 dias é o tempo para o discípulo aprender e repetir as lições do mestre; a refeição expressa intimidade e comunhão; a recomendação é ficar em Jerusalém para aguardar o Espírito Santo; a missão é ser suas testemunhas em Jerusalém (Judéia, Samaria, até os confins da terra); Ao se elevar, uma nuvem o encobre: isto é, o Mistério de Deus está presente e está escondido aos olhos do povo; o Anjos convidam os discípulos para não ficarem de braços cruzados, olhando para o céu, mas para descerem e seguirem o caminho de Jesus.

Lucas, mais que informações sobre o lugar, a forma e o tempo da ascensão, quer nos motivar ao compromisso missionário que a Igreja recebeu de Cristo.

Lucas faz da Ascensão um divisor de águas. Na Ascensão termina o Evangelho de J. Cristo e começa os Atos dos Apóstolos. São duas etapas da História da Salvação. A Ascensão não é despedida, mas nova presença do Mestre que se manifesta por sinais da missão dos discípulos. O Projeto de salvação e de libertação de Jesus passou para as mãos da Igreja, animada pelo Espírito.

Em Ef 1,17-23, Paulo vê na Ascensão, a glorificação de Cristo e o anúncio do retorno de toda a humanidade a Deus.

Mc 16,15-20 apresenta a Missão dos discípulos no mundo, após a partida de Jesus que foi ao encontro do Pai. O texto é um acréscimo posterior ao evangelho de Marcos. É um resumo das aparições de Jesus e da Missão da Comunidade cristã. Ele narra três cenas:

1) Jesus ressuscitado define a Missão dos Discípulos:

– Os Destinatários: a Missão é Universal: Ide por todo o mundo!

O Conteúdo: Pregai o Evangelho a toda a criatura. Na boca de Jesus, a Palavra Evangelho indica o anúncio do Reino que suscita fé e acolhimento da salvação. Para as comunidades cristãs é o anúncio de um acontecimento: Em Jesus Cristo, Deus vem ao nosso encontro, manifesta-nos o seu amor, insere-nos em sua família, obriga-nos a uma opção.

Quem adere à proposta de Jesus terá a vida plena e definitiva, na comunidade do Reino.

O anúncio é acompanhado de Sinais que atestam a autenticidade e a continuidade da ação do Mestre. Os sinais da presença do Mestre são estes: Expulsarão demônios, falarão novas línguas, resistirão ao veneno das serpentes, curarão doentes impondo as mãos.

2) Jesus parte ao encontro do Pai. Jesus, ao subir ao céu e sentar-se à direita de Deus, mostra a sua soberania como Senhor da História e do Universo. Ao subir ao céu, Cristo não é se afasta de nós, mas começa uma nova presença no mundo.

3) Os discípulos partem ao encontro do Mundo a fim de concretizar a missão que Jesus lhes confiou. Os discípulos partiram e pregaram por toda a parte! Na ação missionária, os discípulos não estão sozinhos. O Senhor os ajuda e confirma sua palavra pelos sinais. A Igreja é comunidade missionária cuja missão é testemunhar no mundo a Salvação e Libertação de Cristo.

A Ascensão de Jesus nos lembra nossa ascensão: Ele subiu não para se afastar da nossa humanidade, mas para nos dar a esperança de que um dia iremos ao seu encontro, onde Ele nos precedeu. (Prefácio)

Hoje, no 52º Dia Mundial das Comunicações Sociais, o Papa nos propõe uma mensagem sobre Fake news e jornalismo de paz, com o lema «A verdade vos tornará livres.» (Jo 8, 32). O fenômeno da mentira feita notícia que se impõe e que manipula as pessoas, a Igreja tem a missão de levar a verdade que liberta.

Dom Antonio Emidio Vilar, SDB
Bispo Diocesano