42ª Marcha da Fé em Tambaú

O domingo, 17 de junho, foi de fé, devoção e homenagens em Tambaú. A cidade dos milagres ficou pequena ao acolher milhares de fiéis, devotos e romeiros no último dia das celebrações alusivas aos 57 anos da morte de Padre Donizetti Tavares de Lima.

A programação especial do grande dia teve início ainda de madrugada, com Santa Missa às 4h. Com o nascer do sol, uma multidão saiu às ruas para reverenciar o saudoso sacerdote na 42ª Marcha da Fé. Com os corações alegres e entoando cânticos de louvor, os fiéis acompanharam o andor com a Imagem de Padre Donizetti e Nossa Senhora Aparecida.

A caminhada de fé culminou na Solene Missa Campal, em frente à Igreja São José. Na ocasião, o reitor do Santuário, padre Anderson Godoi de Oliveira, leu o Decreto de Venerabilidade de Padre Donizetti e o bispo da Diocese de São João da Boa Vista, Dom Antônio Emidio Vilar, deixou uma mensagem de esperança aos devotos que estão na expectativa pela beatificação do religioso:

“Devemos nos preparar! Quem sabe, na próxima Marcha da Fé, tenhamos a alegria de celebrar o título de Beato do nosso sacerdote”, disse.

O modelo de santidade, amor e serviço de Padre Donizetti esteve ao centro da homilia do bispo diocesano. “Damos graças a Deus pelos frutos de evangelização que Padre Donizetti nos deixou. Ele rebaixa os orgulhosos e eleva os humildes. Renovemos nosso compromisso de fé neste dia”, exortou dom Vilar.

A Bênção de Padre Donizetti foi reproduzida durante os últimos minutos da 42ª Marcha da Fé, envolvendo todos em grande emoção. Os quatro dias de graças e bênçãos se encerrou com a tradicional Chuva de Rosas e um grande “Vida Padre Donizetti!”.

DEVOÇÃO

Como tradicionalmente, neste dia, muitos fiéis visitaram o túmulo de Padre Donizetti, localizado no Santuário consagrado à Padroeira do Brasil, para expressar sua fé, prestar suas homenagens, agradecer as graças alcançadas e pedir a intercessão do religioso diante de suas necessidades.

O movimento também foi intenso na Casa Museu de Padre Donizetti, antiga Casa Paroquial, onde o sacerdote viveu por 35 anos, até o seu falecimento em 1961. Durante a visita, muitos se impressionaram com a grande quantidade de ex-votos deixados como testemunho e sinal de agradecimento a este homem de Deus.

 Daniele Castro
AMEX
Mais fotos em nossa Página do Facebook!