12º Domingo do Tempo Comum: João é seu nome!

João Batista é o único santo de quem se comemora o dia do nascimento e também sua morte. As Leituras mostram o motivo: a grandeza de sua pessoa e de sua missão.

Is 49,1-6 fala de um misterioso Servo do Senhor chamado por Deus desde o ventre da mãe para levar a luz e a salvação a todas as nações. Nesse servo, os cristãos vêem a imagem de Cristo. Mas João Batista também foi escolhido desde o seio de sua mãe e plenificado com a força de Deus, em vista de uma grande missão: preparar o caminho para Cristo, Luz das nações. Cada um de nós é chamado a cumprir a missão de levar a Luz de Cristo e a Salvação.

Em At 13,22-26, Paulo mostra como Deus preparou seu povo para a vinda do Messias e como João Batista cumpriu fielmente sua missão de precursor.

Lc 1,57-66.80 narra o nascimento do Precursor; João inicia uma nova era: termina o tempo das promessas, da espera, começa o tempo da realização. Deus cumpre sua Palavra.

O texto tem três partes:

  1. O nascimento do Batista: Mãe estéril, Isabel, e Pai mudo, Zacarias: do silêncio de Zacarias nasce a última palavra profética da antiga aliança, da esterilidade de Isabel nasce o anunciador da vida perfeita oferecida por Deus ao seu povo, Jesus Cristo.

O seio de Isabel é a situação da humanidade: sem vida, sem esperança, sem futuro. Mas Deus vem do alto, lhe dá vida, mostra como é grande seu poder, gratuito seu amor, e torna fecunda uma mulher estéril: é uma explosão de alegria que envolve a todos, pais e vizinhos. É sempre assim, quando Deus entra em nossa história.

  1. O nome de João: o nome, na Bíblia é importante, indica a pessoa, suas qualidades, seu destino. (Zacarias= Deus se recordou; João= O Senhor manifestou sua bondade.)
  2. Resumo da infância de João. O Deserto, para Israel, foi o tempo decisivo da história. No deserto, João Batista passa a adolescência e juventude, preparando-se para a Missão: Veio a palavra do Senhor no deserto a João.

Exemplo de João:

  1. Profunda humildade: aceita rebaixar-se em segundo plano para que Jesus apareça: Agora convém que ele cresça e que eu diminua. Essa atitude de João Batista questiona mensageiros que se põem acima da mensagem, grupos que se colocam acima do conjunto da Igreja, pessoas que se ligam ou desligam da Igreja, por causa de ministro que cativa ou decepciona, pondo de lado Jesus, e comunidades que zelam nas construções e não na Evangelização.
  2. O deserto é onde viveu muito tempo (no silêncio, oração, sobriedade) antes de se apresentar diante do povo para transmitir seu anúncio.

Anunciar Jesus é Missão muito séria, não se improvisa: quem evangeliza tem que se preparar com estudo e oração. É o mínimo que podemos fazer!

O Prefácio aponta a grandeza de João Batista: – Proclamamos hoje as maravilhas que operastes em São João Batista, precursor de vosso Filho e Senhor nosso, consagrado como o maior entre os nascidos de mulher. Foi o único dos profetas que mostrou o Cordeiro redentor. Batizou o próprio autor do batismo… e derramando seu sangue, mereceu dar o perfeito testemunho de Cristo.

Bispo Diocesano
Dom Antonio Emidio Vilar, sdb


Artigos Recentes