Pais de João Batista: viveram o matrimônio de cada dia na expectativa de completar a vida em família

Filho de Zacarias e Isabel, João Batista se situa entre o Antigo e Novo Testamento. Consta que sua mãe era estéril, mas nunca se conformou com sua condição. Também podemos dizer que são pessoas que representam o povo da Antiga Aliança. Um povo fiel, plantado no chão da vida que desejava produzir os frutos de Deus no cotidiano. Tão fiel que Zacarias, da tribo dos levitas, servia a Deus no Templo, e mesmo convivendo com a esterilidade nunca deixou de servir a Deus. Era fiel, e com sua esposa Isabel confiava na misericórdia de Deus.

Como esse casal aprendemos a fidelidade a Deus. Porque, certamente Deus tinha um propósito para este casal que perante a sociedade se constrangia em não ter filhos. Uma mulher ou um homem estéril era sinal de maldição. Em nosso tempo nos deparamos com tantos casais que não querem ter filhos. Diante do altar prometem acolher os filhos, mas depois se utilizam de drogas para não viver a paternidade. Zacarias e Isabel nunca deixaram de sonhar com um filho. Viveram o matrimônio de cada dia na expectativa de um dia completar a vida em família.

Este casal é símbolo do povo de Deus que nunca deixou de crer. Sabemos que o povo escolhido teve o amor e a predileção de Deus. Experimentou a escravidão no Egito, mas também passou pelo mar vermelho e sentiu o sabor da liberdade. No deserto passou por tantas provações, mas também viu o socorro de Deus em cada penúria. Desse povo muitos caíram em tentação e partiram para a infidelidade. Buscaram um deus que pudesse solucionar mais facilmente seus desafios. Zacarias, Isabel e tantos outros lutaram contra a tentação e se mantiveram no caminho do Senhor. Souberam escutar o silêncio de Deus e na demora de Deus cuidaram para que suas lâmpadas estivessem sempre acesas.

Quando chegou o tempo, Deus se manifestou a Zacarias e Isabel ficou grávida. Uma gravidez na terceira idade que só podia ter o dedo de Deus. De Zacarias sabemos que houve dúvida e de Isabel talvez um constrangimento por gerar um filho na velhice, e quem com riscos de vida.

Entendemos que Deus pode demorar, mas sua graça não falha, principalmente aos que se colocam ao seu dispor. De Zacarias aprendemos o silêncio. Ele ficou mudo por muito tempo. E com quem Isabel iria conversar? Às vezes também nós devemos escolher o silêncio. Guardar as palavras e falar somente com Deus que nos escuta em nossos pensamentos. Assim fez o casal amado por Deus e escolhido para gerar aquele que prepararia os caminhos do Senhor. É certo que este silêncio será quebrado com a visita e permanência de Maria, prima de Isabel.

Nasce a criança, Zacarias recupera a fala, e a alegria e a admiração tomam conta de todos. “Seu nome será João”. Uma vida nova é sempre motivo de alegria e esperança. A alegria que decorre do nascimento de João Batista prefigura uma alegria maior que será o do nascimento e  ressurreição de Jesus, que significará a realização de todas as promessas de Deus.

Acolher uma nova vida é sempre uma profissão de fé. Por muito tempo João Batista fora esperado e desejado. Uma esperança que nem sempre conhecia a grandeza de sua missão. Zacarias e Isabel nos ensinam que Deus tem um propósito para os filhos de uma família que devem ser sonhados, esperados e acolhidos.

Nasce João Batista numa família pobre e simples. Lá não tinham muitos bens materiais, mas tinha a fé em Deus. É neste ambiente que João Batista é educado. Um ambiente que marcará para sempre sua vida. Zacarias e Isabel não sabiam que naquele lar morava o maior profeta de todos os tempos. Enquanto cumpriam sua missão estavam colaborando com o plano de Deus. E é sempre assim, quando cumprimos bem nossa missão, estamos ajudando no plano da salvação.

Claro que a mão de Deus estava junto dessa família. Porque, quando João Batista se torna adulto deixa sua família e sai em missão. Zacarias e Isabel não guardam esse dom precioso para si, mas o oferecem ao Senhor de quem ele procedeu. Em sua educação encontrou sentido e força para fazer a experiência do deserto. Vindo de um lar pobre viveu de maneira austera nos ensinado a bem relacionar com as coisas secundárias. Consciente de sua vocação tornou-se um profeta em saída. Não se casou, mas fez discípulos para si que depois os encaminhou a Jesus. Deixando-se conduzir pelo Espírito foi extremamente comprometido com a verdade, que mais tarde lhe custará a própria vida.

Enfim, também com esta família temos muito a aprender. Que sempre devemos esperar em Deus. Pode ser que nossos sonhos também sejam os de Deus. Ele nos surpreende, e tem sempre algo a nos oferecer. No entardecer da vida, Deus ainda pode se manifestar e trazer novas alegrias. Nem sempre será a alegria de um novo filho ou a realização de uma grande expectativa, mas sempre será algo que nos fará mais dignos e colaborados de seu plano de amor.

Padre João Marcos Moreira
Coordenador de Pastoral