19º Domingo do Tempo Comum: Feliz dia dos pais!

Deus oferece aos homens o Pão da vida plena e definitiva. – Hoje é o dia dos pais.

Em 1 Rs 19,4-8 Elias no deserto recebe um pão do céu para refazer as forças e continuar a missão. Ele culpa o Rei e a Rainha da ruína de Israel, desafia e mata os profetas de Baal que sustentavam a religião pagã da rainha Jesabel (± ano 450). Ameaçado de morte, foge para o deserto, onde o povo encontrara a fonte de sua fé (êxodo). Perseguido, cansado, faminto, abatido e desanimado, adormece debaixo de uma árvore, desejando a morte. Deus não o abandona, manda um anjo, que lhe diz: Levanta e come! Elias, revigorado por aquele alimento vindo do céu, continua o seu caminho (40 dias e 40 noites) até o monte de Deus (Horeb). Deus não abandona o profeta em sua missão, nem elimina os inimigos,  apenas lhe dá a força para continuar a caminhada. Esse pão vindo do céu prefigura o Pão, oferecido por Jesus.

O seguidor de Cristo, que caminha pelo deserto da vida, pode sentir o cansaço, desânimo e a tentação de deixar tudo. Mas, como Elias, deve despertar do sono, comer do Pão do Céu e, fortalecido, retomar o caminho até chegar ao monte santo.

Em Ef 4, 30-5,2 Paulo exorta os efésios a serem imitadores de Deus, em sua bondade e misericórdia e arrancar tudo o que se opõe ao Espírito Santo e à caridade.

Jo 6,41-51 prossegue o discurso de Jesus em Cafarnaum, onde Jesus se apresentara como o Pão descido do céu para dar vida ao mundo. Ele provoca uma forte reação: Os judeus murmuram (como no deserto). Daí nasce uma tremenda resistência e recusa. Jesus não desiste e reafirma: Eu sou o pão descido do céu! Quem come desse pão viverá eternamente!  E exige Fé: Quem crê, tem a vida eterna. Quem dele comer, não morrerá!

Comer a carne de Jesus: é assimilar na sua totalidade a pessoa e a Missão de Jesus e, como Ele, ter gestos de doação e de solidariedade em favor dos irmãos. É acolher Jesus na sua realidade divina e humana, dom de Deus para a salvação da humanidade.

O que esta Palavra fala aos pais? Hoje, com tanta mudança e dificuldades de todo tipo, os pais se vêem, muitas vezes, com cansaço e desânimo, como Elias. Pais, não desanimem pelas situações difíceis e complicadas, nem murmurem como os judeus diante do incompreensível.

Ser pai é Missão sublime, é participar do maravilhoso mistério da criação, é iluminar o mundo com a Luz da fé, é continuar lutando, cheio de esperança em um mundo mais humano.

Mas onde buscar força nesta provação? O Evangelho nos dá a resposta! Nossa força é o Pão Vivo descido do céu, Cristo, presente no meio de nós na Eucaristia e na sua Palavra.

E mais do que ninguém, o Pai tem a missão de oferecer esse pão aos filhos!

Ser Pai: É alimentar a vida dos filhos, não apenas com pão material, mas também o espiritual, e a palavra amiga; é saber gastar tempo com os filhos, acompanhar os passos dos filhos para, assim, poder entendê-los; é saber respeitar a liberdade dos filhos: respeitando a vocação de cada um, sendo uma presença certa na hora certa; é saber confiar: as pessoas só confiam em quem confiam nelas. Pior que o erro, é perder essa confiança dos filhos.

Filhos, o que é ter Pai? É saber descobrir a presença de Cristo naquele que é responsável pelo progresso e felicidade da família; é saber respeitar e nas horas difíceis confiar.

Dois momentos ensinam o que é ter um pai: quando não se tem mais ao seu lado; quando se torna pai, diante de suas responsabilidades e as dificuldades de um verdadeiro pai.

Hoje é dia dos pais e começa a Semana Nacional da Família 2018 com o tema ‘O Evangelho da Família, alegria para o mundo’, tema do IXº Encontro Mundial das Famílias com o Papa Francisco, em Dublin, Irlanda. Vivamos com alegria estes eventos, e nos empenhemos para anunciarmos o Evangelho da Família que deve ser alegria para o mundo.

 

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano