24º Domingo do Tempo Comum: Tome a sua Cruz

Neste mês da Bíblia valorizamos ainda mais a Palavra de Deus em nossa vida. O tema de hoje é: O Caminho escolhido por Cristo e o Caminho que Cristo aponta a seus seguidores.

Is 50,5-9 fala do Servo de Javé: Os judeus tinham ideia triunfalista do Messias, esperavam um grande rei que iria devolver ao povo glórias perdidas, um herói que iria resolver todos os problemas. Nunca imaginaram um messias humilde e sofredor. Isaías apresenta um profeta anônimo, chamado por Deus a testemunhar a Palavra da salvação e que, para cumprir essa missão, enfrenta perseguição, tortura e morte. Mas Ele confia no Senhor. Por isso, mesmo quando acusado, tem certeza da vitória. Os primeiros cristãos viram Jesus neste Servo Sofredor.

Em Mc 8,27-35, Jesus faz o 1º Anúncio da Paixão: o texto reflete a mentalidade triunfalista dos judeus e dos apóstolos e tem 3 partes: a Confissão de Pedro, o Anúncio da Paixão e o Convite de Jesus para seu Seguimento e as Condições.

Jesus está a CAMINHO de Jerusalém:

1) E pergunta: Quem é Jesus? Para o Povo: É só um Homem, convocado por Deus e enviado ao mundo com uma missão, como os Profetas do Antigo Testamento. Para o Grupo: É o Messias libertador que Israel esperava. Pedro acerta na resposta, mas erra logo em seguida na prática.

2) Caminho de Jesus: Jesus lhes diz que a sua Missão messiânica passa pela Cruz. Pedro reage e tenta afastar Jesus do Plano do Pai. Jesus lhe responde: Vai para trás de mim, Satanás.

3) Caminho dos discípulos: semelhante – deve renunciar a si mesmo, tomar a Cruz e seguir Jesus, no caminho do Amor, entrega e dom da Vida a Deus e aos irmãos, para ganhar a vida eterna.

Há diferença entre a lógica dos homens (Pedro) e a lógica de Deus (Jesus). A lógica dos homens aposta no poder, no domínio, no êxito, dinheiro, fama. A lógica de Deus aposta na entrega da vida a Deus e aos irmãos, assumindo os valores do Reino e vivendo no amor, na partilha, no serviço, na solidariedade, na humildade, na simplicidade.

Quem é Jesus? O que os homens dizem de Jesus? Muitos vêem em Jesus um homem bom, um mestre admirável, um grande líder revolucionário preocupado em construir uma sociedade mais justa e fraterna: um homem extraordinário, mas um homem apenas.

Mas vós, quem dizeis que eu sou? Jesus não quer que paremos no que se diz dele, mas que tenhamos um encontro pessoal com ele e o sigamos. Assim, nossa resposta sobre sua identidade não é fruto da nossa inteligência, mas profissão de fé que brota do coração e da mente iluminada pelo Espírito Santo, como aconteceu a Pedro. Pode acontecer que o que pensamos sobre Cristo não corresponda à sua identidade, assim como Pedro não quis ouvi-lo falar de sofrimento e morte; mas, se aceitamos estar com ele e de ser seus discípulos, aos poucos descobriremos o sentido de suas palavras e ações e compreenderemos seu amor pela humanidade.

Cristo nos convida para segui-lo e as condições são as mesmas: Renúncia e Cruz. Sem Cruz é impossível entender quem é Jesus e o que significa segui-lo.

Em Tg 2.14-18 seguir Jesus é ter gestos concretos de amor, partilha, serviço e solidariedade.

Que tipo de Cristo imaginamos? Um Cristo fácil, ou um Cristo difícil? Uma Religião sem cruz, sem desafios, sem canseiras, grandiosa, milagreira, ou comprometida, solidária?

O que significa a Cruz para nós? Uma desgraça ou oportunidade de salvação?

– Qual a nossa atitude diante da Cruz? Nós a aceitamos humildes e serenos? Ou tentamos, como Pedro, fugir do sofrimento? Ou carregamos a contragosto e até revoltados?

– Renunciamos a nós mesmos em favor dos outros? Ou somos nós uma Cruz para os outros?

– Carregar a Cruz é sacrificar a nós mesmos para praticar o bem e fazer alguém feliz.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano