IIIº Domingo do Advento (Ciclo C): E nós, o que devemos fazer?

O Domingo da Alegria mostra as exigências concretas para recebermos o Senhor que vem. A expectativa de sua vinda é motivo de alegria, pois ele já venceu e eliminou todo o mal. Vivemos hoje na esperança da plena realização, na história, dessa sua obra.

Sf 3,14-18 é um Hino à Alegria, anunciado por Sofonias, porque foi revogada a sentença que condenava Judá. O próprio Deus estará no meio do povo, como Salvador. “Alegra-te de todo o coração, cidade de Jerusalém. Não tenhas medo, Sião. O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, como poderoso Salvador.” A fonte da alegria cristã é a certeza de que Deus nos ama e está no meio de nós para nossa salvação e felicidade.

Is 12,6: o Salmo reforça o motivo da Alegria: Alegrai-vos, habitantes de Sião, porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel.

Fl.4,4-7: Paulo sugere Alegria em tempos de perseguição; ele próprio estava na prisão. Alegrai-vos sempre no Senhor, repito, alegrai-vos. A alegria cristã é sinal visível da presença do Ressuscitado na comunidade.

Lc.3,10-18: o Batista anuncia alegria pelo Salvador que vem, mas está preocupado com algo que pode estragar tudo: os pecados! E faz um veemente apelo à conversão.

O Povo acolhe o apelo e diz: E nós, o que devemos fazer? João Batista apresenta o caminho da conversão, que garante a alegria: aponta 3 atitudes bem concretas para quem quer fazer a experiência da conversão e de encontro com o Senhor que vem.

1-Ao povo: solidariedade e partilha com os necessitados: Quem tem 2 túnicas, comida, reparta. Os bens que temos são dom de Deus e pertencem a todos: Ninguém tem o direito de se apropriar deles em seu benefício. Quando nos desculpamos que não temos nada para dar, será que não temos um sorriso, um gesto de amizade, um momento de escuta?

2-Aos cobradores de impostos: honestidade e justiça. Não cobrar mais do estabelecido. Os publicanos, hoje, são os que usam o dinheiro com esperteza, que sonegam os impostos e exploram os humildes. Para eles será suficiente só recitar umas orações no Natal?

3-Aos Soldados: não exercer violência e abuso do poder. Quem tem poder, não tomar à força dinheiro de ninguém. Hoje, quem abusa da força e do cargo para se impor e oprimir?

São Três Caminhos para a alegria prometida para quem acolhe Cristo que vem: Solidariedade (partilha); Justiça; Não-violência. São 3 as pragas das quais devemos nos libertar: ganância, injustiça e abuso do poder; são realidades do tempo de Jesus e de hoje.

E nós, o que devemos fazer para ter a verdadeira alegria do Natal?

Pai, Mãe, o que fazer para criar esse clima de alegria em sua casa?

Jovem, o que fazer para conquistar essa verdadeira alegria?

Você, que está de mal e não quer perdoar: o que deve fazer? – O que deve fazer quem fala demais da vida alheia? – O que deve fazer quem bebe demais e inferniza sua família?

– O que deve fazer quem não tem tempo para Deus, a família, a Novena, só para negócios?

– O que deve fazer quem gosta de aparecer e discrimina os mais humildes?

– O que deve fazer quem não é sincero, nem fiel, nem honesto?

A alegria cristã sempre foi um sinal da libertação messiânica. A alegria é o sinal do cristão! Uma grande alegria anunciaram os anjos em Belém aos pastores! E todos se enchem de alegria pelas maravilhas que testemunham do Senhor em suas vidas.

 

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano