Natal (Ciclo C): Mãe de Deus

Celebramos a solenidade da Mãe de Deus, o Iº dia do ano civil e o 52º Dia Mundial da Paz.

A Mãe de Deus, título do Concílio de Éfeso (431), sublinha a natureza humana e divina de Cristo. A Virgem Maria é a Mãe de Deus feito homem.

No Iº dia do ano, pedimos a Bênção de Deus para todo o ano. O Ano Novo nos ajuda a recomeçar, a renovar a Fé, a Esperança e o Amor. A Felicidade verdadeira só é possível com Deus. Pedir bênção é o modo de reconhecer nossa dependência de Deus em todos os dias do ano. É o que nos diz a Liturgia. 

Nm 6,22-27 é uma linda oração de Bênção sugerida pelo próprio Deus sobre o seu povo: Eis como abençoar os filhos de Israel: dizei-lhes: O Senhor te abençoe e te guarde. O Senhor faça brilhar sobre ti a sua face, e se compadeça de ti. O Senhor volte para ti o seu rosto e te dê a paz. Assim invocarão o meu nome, e eu os abençoarei. Este texto sublinha a presença de Deus em nossa vida, como Bênção que nos dá vida em plenitude.

Gl 4,4-7 afirma que Cristo vem ao mundo, nascido de Mulher, com a missão de libertar os homens do jugo da Lei e torná-los filhos, com o direito de chamar a Deus Abba (papai). É o único lugar em que Paulo fala da mãe de Jesus. Maria é chamada Mãe de Deus, de fato.

Lc 2,16-21 mostra Maria plenamente feliz, ao receber a visita dos pastores. Jesus é o Libertador que veio ao mundo trazer a salvação para todos, especialmente para os pobres:

  1. Pastores, pobres e marginalizados, são os primeiros a receberem a notícia e dirigem-se apressadamente ao encontro do menino. Os pobres esperam a ação de Deus.
  2. Reação dos pastores: Glorificam e louvam a Deus por tudo o que tinham visto e ouvido. É a alegria pela libertação, que se converte em ação de graças a Deus. Tornam-se porta-vozes do anúncio libertador, provocando admiração dos que escutavam seu testemunho.
  3. Maria conservava todas estas palavras, meditando-as no seu coração. Duas atitudes para nós: a meditativa interioriza e aprofunda os acontecimentos, e a missionária. Eles proclamam a ação salvadora de Deus, no nascimento de Jesus.

Dia Mundial da Paz: em 1968, São Paulo VI pediu aos cristãos que rezassem pela paz.

Hoje a Igreja nos lembra que a Paz anunciada pelos anjos em Belém é possível e devemos buscar construí-la dia a dia. Paz é obra da justiça e fruto do amor: paz no coração, na família, na vizinhança, na comunidade, no trabalho…

O tema de 2019, da 52º Dia Mundial da Paz, é “A boa política está a serviço da paz.

A responsabilidade política é de cada cidadão, em especial dos governantes. É missão de garantir o direito e incentivar o diálogo entre membros da sociedade, gerações e culturas.

 Não há paz sem confiança recíproca e a confiança tem como primeira condição o respeito pela palavra dada. O compromisso político, uma das mais altas expressões da caridade, traz a preocupação pelo futuro da vida e do planeta, dos jovens e crianças, em busca de realização.

Os direitos e deveres do ser humano aumentam a consciência de pertencer a uma mesma comunidade, com os outros e com Deus. Somos chamados a levar e anunciar a Paz como a boa nova de um futuro em que todo ser humano será considerado em sua dignidade e seus direitos.

A exemplo de Maria, Mãe de Deus e Rainha da Paz, vamos semear a Paz ao nosso redor, para que esse Ano Novo seja mais humano, mais fraterno e mais cristão!