III Domingo do Tempo Comum: Santo Livro

Vamos lembrar a importância da Palavra de Deus na vida do Povo de Deus.

Em Ne 8,2-4.5s.8-10, Deus convoca o Povo para escutar a Palavra e renovar a Aliança.

Na volta do exílio da Babilônia, Esdras e Neemias tentam reconstruir o país, recuperar a memória do passado e conservar a identidade do povo. O instrumento para essa obra foi a Palavra de Deus. Esta é a importância que a Palavra de Deus assume na vida da comunidade. A comunidade é chamada a escutar a Palavra. O local da leitura é bem preparado. O Livro é acolhido de pé, de forma solene e em atitude de respeito. A Palavra aclamada pela assembléia é proclamada claramente pelos levitas e explicada numa linguagem compreensível a todos. A Palavra interpela e provoca no povo uma atitude de conversão. Tudo termina numa grande festa: a Palavra é geradora de alegria e festa. Assim deve ser hoje também a Celebração.

Em 1Cor 12,12-30, Paulo, falando dos carismas no Corpo de Cristo (Igreja), sublinha que a Comunidade cristã é gerada e alimentada, na unidade, pela Palavra de Deus.

O Sl 18 reza: Vossas Palavras, Senhor, são espírito de vida.

Em Lc 1,1-4;4,14-21, Cristo proclama e atualiza a Palavra de Deus no sábado, na sinagoga de Nazaré. É o início do evangelho de Lucas, desse ano litúrgico. São dois textos: O primeiro é a introdução ao Evangelho de Lucas. O segundo é o início da Pregação de Jesus anunciando sua Missão: É o profeta que Deus ungiu para realizar a missão libertadora. A missão de Jesus é nossa Missão. Também nós fomos ungidos pelo Espírito Santo e enviados para anunciar uma Boa Nova de Esperança e levar os oprimidos a gozar a vida plena.

A Fonte é a Palavra de Deus que devemos conhecer e anunciar. O local é a comunidade (a Missa, os Grupos e a vida pessoal). O Modelo é Cristo: O espírito do Senhor me ungiu e me enviou. O Conteúdo é a Boa Nova: de esperança e alegria aos pobres, mais abertos a Deus; aos presos, para libertar da miséria, vícios, injustiças, do pecado; aos cegos, para dar a luz que liberta da exploração e das estruturas anticristãs; aos oprimidos, para conquistar seus direitos.

A Bíblia é a Palavra de Deus para nós. Para o Povo de Deus, a Palavra de Deus reconstruiu o país quando voltou abatido do exílio. Cristo com Ela iniciou sua Missão e apresentou seu programa.

O Sl 119,105 diz: Tua Palavra, Senhor, é lâmpada para meus pés, e luz para meu caminho.

2Tm 15,4 diz: Toda Escritura inspirada por Deus é útil para instruir e refutar, para corrigir e formar na justiça, afim de que o homem de Deus seja perfeito, qualificado para toda a espécie de boas obrar.

Em todos os tempos, sobretudo em épocas de crise, os homens voltam a alimentar-se da Bíblia, procurando nela um sentido para sua vida. A Igreja tem na Bíblia a fonte de inspiração para sua renovação, sobretudo na Liturgia, na Catequese, nas Comunidades, nos grupos e na vida pessoal dos cristãos. O Catecismo afirma: A Sagrada escritura dá suporte e vigor à vida da Igreja. É para seus filhos firmeza da fé, alimento e fonte de vida espiritual. É a alma da teologia e da pregação pastoral. A Igreja exorta por isso à freqüente leitura da Sagrada Escritura, porque a ignorância das escrituras é ignorância de Cristo”. (CIC 24)

Como nos diz S. Agostinho, o 1º livro que Deus escreveu é a Natureza, criada pela Palavra. O 2º livro é a Bíblia escrita para nos ajudar a decifrar o mundo, para nos devolver o olhar da fé e da contemplação, e para transformar a realidade numa grande revelação de Deus.


Artigos Recentes