Bispo Dom Vilar fala sobre a Campanha da Fraternidade 2019: Fraternidade e Políticas Públicas

Lema: Serás libertado pelo direito e pela justiça (Is 1, 27)

Desde 1964, a Igreja no Brasil promove, a cada ano, a Campanha da Fraternidade (CF). A opção do tempo quaresmal é de conversão e de penitência pessoal, comunitária e social. Para isso, escolhe-se um tema atual e urgente e um lema inspirado na Palavra de Deus.

Como campanha, seu objetivo é despertar a solidariedade dos fiéis e da sociedade em relação a um problema real, e buscar soluções. O cristão, sal da terra e luz do mundo, é chamado a renovar a consciência de sua responsabilidade na evangelização e na promoção humana.

A coleta do Domingo de Ramos é o gesto concreto das comunidades, é fruto do jejum que se faz caridade. A arrecadação destina ao Fundo Nacional de Solidariedade, 40% dos recursos para projetos regionais, e ao Fundo Diocesano de Solidariedade, 60% dos recursos para projetos locais.

Políticas Públicas é o tema de 2019. O lema Serás libertado pelo direito e pela justiça é de Is 1, 27. O direito, a justiça e a paz são sinais do Reino de Deus e promovem a dignidade humana. Nós cremos que o Reino de Deus já está entre nós. Nós vivemos e o testemunhamos o Reino de Cristo através da justiça, do amor, da fraternidade.

A Quaresma pede de nós jejum, oração e caridade: estas práticas nos fazem renunciar à idolatria e à autossuficiência do eu, a nos declarar necessitados do Senhor e da sua misericórdia, e a partilhar nossos dons com os outros. A oração nos transfigura em Cristo e faz de nós bons samaritanos, capazes de servir irmão desfigurado pelo pecado pessoal e social.

A Igreja vê a vida humana como dom de Deus e anuncia Jesus Cristo que veio para que todos tenham vida e a tenham em abundância. A Igreja, como força viva da sociedade, tem a missão de lutar por uma sociedade mais justa e fraterna, com o diálogo e a ação transformadora.

Dom Bosco formava seus jovens para serem bons cristãos e honestos cidadãos, com os pés no chão e o coração no céu. Não dá para separar o cristão do cidadão!

O cristão deve buscar primeiro o Reino de Deus e a sua justiça. Esta Campanha das Políticas Públicas quer suscitar empenho na defesa e promoção da vida humana, em especial a ameaçada, perseguida e oprimida. Os objetivos específicos desta Campanha são as necessidades básicas para uma vida digna, isto é, Políticas Públicas de Educação, Saúde, Trabalho, Segurança Social.

A Igreja, através da Campanha, quer fomentar o diálogo e trabalhar em conjunto com todas as pessoas, classes e origens culturais e religiosas. Ao buscar maneiras comuns de promover mais Políticas Públicas para todos, privilegia os mais vulneráveis, vítimas da exclusão social. A Igreja interpela o Estado para que os respeite a condição dos cidadãos e abra caminhos novos para tal.

 A Igreja como Mãe e fiel ao Evangelho, visa a dignidade de todos, cultivando uma consciência crítica diante de estruturas que geram morte e manipulam a vida humana. Enfim, busca a conversão quaresmal, uma maior fidelidade a Deus, o criador e doador da vida.

Cristo viveu entre nós fazendo o bem, ensinando a justiça, o amor e a fraternidade, aliviando o sofrimento dos que sofriam sob a mão dos poderosos. Cristo se compadeceu dos pobres. A Igreja segue o seu mandato, segue os seus passos, promovendo a justiça do Reino.

O desafio é chamar à conversão os duros corações da sociedade de hoje, fechados em seus interesses, é fazer com que se tornem um coração de carne e ponham em prática Políticas Públicas de inclusão, gestos de comunhão, justiça e solidariedade para todos.

A Páscoa é esperança da Ressurreição, é paixão pela Vida que jamais desiste de defender e promover a justiça e a paz. A Quaresma nos prepara para a Páscoa pela oração, o jejum e a caridade. O compromisso pascal, de fé na Ressurreição, nos dá a certeza de que a vida venceu a morte, e nos chama a testemunhar a vida, que é Jesus.

As Pastorais, as comunidades e os grupos de reflexão são sinais claros desta luta por Justiça e Paz, por mais Políticas Públicas nas Cidades, no Estado e no País.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano