Jovens da Diocese falam sobre a experiência na JMJ

Um bom número de jovens de nossa diocese de São João da Boa Vista, estiveram presentes na JMJ 2019. Dentre eles estiveram os jovens Davi Sassarão, Tainá Nassar Palma, Aline Cristina Tonon e Cayque Alves Sobrinho, que partilham com A VOZ DA DIOCESE sua experiência:
“Jesus é duro te seguir mas é impossível te deixar”: Acreditamos que essa é a frase que resume a JMJ. Desde o final de 2016 trabalhávamos para realizar o sonho de representar nossa paróquia Sagrado Coração de Jesus, DE São João da Boa Vista, no Panamá. Graças a Deus conseguimos não só a quantia necessária para a JMJ mas também para a Pré-JMJ na Costa Rica! Viajamos com a Comunidade Católica Shalom, chegamos na Costa Rica dia 15 de janeiro e fomos acolhidos na Paróquia San Juan Bautista, no distrito Patarrá, capital San José. A paróquia nos acolheu com muito amor. Ficamos em casas de famílias, que nos receberam como se fôssemos verdadeiros filhos. Em Patarrá saímos em missão para visitarmos enfermos, famílias pobres e levarmos mensagens do Papa. O pároco cuidou de cada detalhe para que nós aproveitássemos todos os momentos. A coisa mais difícil que tivemos que enfrentar na Costa Rica foi ter que despedir dessa comunidade tão acolhedora e alegre!
Chegamos ao Panamá dia 21 a noite, ficamos hospedados na Universidade do Panamá, na capital Cidade do Panamá. No dia seguinte ocorreu a Missa de abertura da Jornada, em que o arcebispo Dom José Ulloa encorajava os jovens a colocar suas ideias em prática e revolucionar o mundo. Tivemos catequeses com bispos brasileiros durante o período da manhã e no dia 25 participamos da catequese com o nosso bispo Dom Vilar na Igreja Cristo Hijo Del Hombre. No dia 24 houve a acolhida do Papa Francisco com os peregrinos. Conseguimos vê-lo de perto, muita emoção! Neste dia o sucessor de Pedro nos falava sobre o amor, dizendo que o amor anula qualquer diferença. No dia 25 houve a Via Sacra, um dos momentos mais belos da Jornada, em que países de toda a América Latina foram encarregados de conduzir as estações, onde cada país discursava sobre os problemas que seu povo enfrentava, e pedia a intercessão dos Santos. No dia 26 nos preparamos para a vigília, que se iniciaria a noite. Caminhamos 5km até o Campo São João Paulo II onde ocorreu a exposição e Bênção do Santíssimo Sacramento feita pelo Papa. Foi na vigília que pudemos realmente ver a essência da JMJ: Nações do mundo inteiro, unidas pela mesma Igreja, adorando o mesmo e único Deus! Dormimos no local e no dia seguinte o Papa celebrou a Missa de envio, momento em que ele disse a famosa frase que marcou fortemente essa jornada: “Porque vós, queridos jovens, não sois o futuro, mas o agora de Deus”.
Também ralamos um pouquinho, passamos por várias situações como filas gigantescas para comer e entrar nos eventos, tomamos os banhos mais frios de nossas vidas, nos desentendemos, entre outras coisas. Apesar de tudo isso, Deus nunca deixou de derramar suas graças, nos mostrou a beleza de seu mundo e de sua Igreja e até nos deu amigos que, mesmo tendo convivido pouco tempo, hoje consideramos irmãos. Tudo foi muito intenso e é por isso que a frase colocada no início resume bem a JMJ, uma missão que não só jovens, mas todo católico deveria experimentar, fazendo desta experiência a melhor das nossas vidas!