Anúncio oficial do decreto de Beatificação do Padre Donizetti Tavares de Lima

Aconteceu ontem (8), às 16h, no Santuário Nossa Senhora Aparecida de Tambaú, o anúncio oficial do decreto de Beatificação do Pe. Donizetti Tavares de Lima na Diocese.

A aprovação foi dada pelo Papa Francisco, no último dia (6), em uma audiência com o Cardeal Angelo Becciu, Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, e foi publicada na manhã do dia 8 de Abril.

Estiveram presentes o Bispo Diocesano, Dom Antônio Emidio Vilar,sdb, juntamente com o reitor do Santuário e vice-postulador da causa Pe. Anderson Godoi, mps., o Pe. Waldemar C. de Souza Júnior, Pe. Diego Santos de Oliveira, mps, e Pe. Edward Gregório Júnior, e fiéis da cidade e região puderam acompanhar este anúncio tão esperado.

QUEM É O BEATO PADRE DONIZETTI

O Beato Donizetti Tavares de Lima é brasileiro, nascido em Cássia, estado de Minas Gerais (MG), no dia 3 de janeiro de 1882, filho de Tristão Tavares de Lima e Francisca Cândida Tavares de Lima. Ingressou no Seminário no ano de 1900, ordenando-se padre diocesano no dia 12 de julho de 1908, na cidade de Pouso Alegre, MG, por seu grande mentor espiritual, Dom João Batista Corrêa Nery. Passou pelas Paróquias de São Caetano em Pouso Alegre; Jaguariúna; Paróquia de Santa Mãe de Deus; Paróquia Sant’Ana em Vargem Grande do Sul, chegando em Tambaú no dia 12 de junho de 1926, permanecendo por 35 anos até o seu falecimento, ocorrido aos 79 anos no dia 16 de junho de 1961, em fama de santidade crescente até os dias atuais.

O MILAGRE

O miraculado Bruno Henrique de Oliveira, de 12 anos, residente da cidade de Casa Branca, interior de São Paulo, sofria de uma deformidade congênita de nascença nos membros inferiores, conhecida como pé torto congênito bilateral. Nasceu com as pernas tortas e arqueadas, os pés também eram tortos para o centro. Sua mãe Margarete Rosilene Arruda de Oliveira, em um momento de desespero e grande fé, implorou pela cura do filho ao padre Donizetti.

Bruno nasceu no dia 22 de maio de 2006, no hospital Santa Casa de Misericórdia de Casa Branca, e apresentou “pé torto congênito”. Após alguns dias, a mãe constatou que se tratava de uma anormalidade de difícil tratamento, com a possibilidade do uso de gessos, bota ortopédica e a realização de cirurgia, podendo ainda acarretar sequelas.

DEPOIMENTO DA MÃE DE BRUNO

Bruno ao começar a ficar de pé, não conseguia encostar as solas dos pés na superfície, ele pisava com os lados dos pés e tinha as perninhas arqueadas. Então, de posse do Raio-X e laudo a mãe levou ao pediatra que constatou realmente o fato, e pediu que marcasse consulta com o ortopedista Dr. José Elias.

Em uma noite, ela colocou Bruno de pé sobre a mesa da cozinha e com a mão tentou desentortar os pezinhos dele e fazer com que ficassem retos, mas seus esforços foram em vão. Então ela comecei a chorar e clamou ao Padre Donizetti.

“Por favor, Santo Padre Donizetti, tenha piedade desta vossa filha que vos clama, me ajude: cure o meu filho, cura os pés dele…Sei que terei um caminho difícil pela frente com esse tratamento…Intercede por mim junto a Nossa Senhora Aparecida, sei que Ela não negará um pedido do senhor padre, pois Ela o ama muito, peça a Ela, por favor, que interceda ao filho Jesus, tal qual nas bodas de Canãa.

Padre Donizetti, se o senhor atender o meu pedido, prometo ir até a sua casa em Tambaú e levar o sapatinho do meu filho Bruno, para que dê o testemunho do seu poder junto à Nossa Senhora e Jesus, para que outros que sofrem, possam também pedir ajuda a vós. Obrigada, essa é minha vontade, mas que seja feita a vontade de Deus sobre todas as vontades…Amém!”

Coloquei meu filho para dormir. No dia seguinte quando acordamos, resolvi colocá-lo novamente de pé sobre a mesa e tive uma surpresa! Meu filho pisou com os pés retos e as solas dos pés tocavam a mesa! Suas pernas ainda continuavam arqueadas, mas, os pés estavam pisando certo. Chegou o dia da consulta com o ortopedista. Levei meu filho juntamente com o Raio-X e o Laudo e o Dr. José Elias, olhava o laudo e examinava os pés do Bruno e depois de algum tempo, me disse:

Você acredita em Deus? Eu disse que sim e ele me disse: – Então agradece, porque foi “Ele”, seu filho não tem nada nos pés, está normal!

Saí de lá com lágrimas nos olhos e tão agradecida ao Padre Donizetti, Nossa Senhora Aparecida e a Deus, por terem curado os pés do meu filho.

O tempo foi passando e suas perninhas continuaram arqueadas, eu agradecia e pensava que as pernas continuavam assim, para dar testemunho do milagre que havia acontecido. Meu pai, Sr. Luiz Arruda (avô do Bruno) sempre otimista, me dizia assim: “essas perninhas tortas não atrapalham em nada, pois um dos maiores jogadores do Brasil, “Mané Garrincha” tinhas as pernas tortas, e chamava o Bruno de Garrinchinha do vô”. Em 2010, minha avó Terezinha Kill de Melle, veio nos visitar, ela mora em São Paulo, é muito católica e devota do Padre Donizetti, o qual conheceu pessoalmente. Então fomos fazer esse passeio a Tambaú, leva-la, e cumprir minha promessa de levar os sapatinhos do Bruno juntamente com o laudo e deixei-os sobre a cama do Padre Donizetti em sua casa. Escrevi em um papel a breve história do que havia acontecido e agradecendo para dar testemunho para todos que sofrem possam encontrar amparo nessa alma iluminada e bendita que é o Padre Donizetti. Hoje meu filho Bruno encontra-se em perfeito estado de saúde, suas pernas desentortaram e seus pés são normais sem nunca ter se submetido a nenhum tratamento e nenhuma cirurgia. Não existe nenhuma sequela nele que indique que algum dia teve “pé torto congênito”. Agradeço de todo o meu coração e digo sem nenhuma dúvida: – Foi o Padre Donizetti que intercedeu por meu filho junto a Nossa Senhora Aparecida e vosso Filho Jesus.

DOM VILAR FALOU SOBRE OS TESTEMUNHOS

Dom Vilar falou sobre os inúmeros testemunhos que vivenciou nestes anos aqui em nossa diocese o que não deixa sombra de dúvidas sobre a santidade do padre Donizetti. Curiosamente falou sobre as buscas pelo raio-x dos pés do menino Bruno. O radiologista disse que seria praticamente impossível encontrar o raio-x, pois, o material já estava para ser incinerado. Surpresa maior veio quando o radiologista ao adentrar o arquivo inexplicavelmente encontrou com certa facilidade os exames sem a necessidade de procurá-los mais intensamente. O mesmo não sabe o porquê, que foi procurar precisamente no local, onde estava. Segundo Dom Vilar, mais uma prova de sua santidade.

Ainda nosso bispo disse que a beatificação em si, ou seja, a formal com a cerimônia deve acontecer ao final deste ano, com data definitiva ainda a ser revelada pelo Vaticano.

Foi sugerido para invocação oficial do beato, os dias 07 e 08 de Dezembro, porém ainda aguardam aprovações para a Diocese celebrar este dia memorável.

Informações Página do Santuário Nossa Senhora Aparecida de Tambaú