PÁSCOA: A vida venceu a morte

Páscoa é Festa da Vida. O túmulo está vazio. Cristo está vivo para sempre! Com Madalena, Pedro e João, nós professamos a fé no Senhor Ressuscitado.

Em At.10,34.37-43 Pedro, em Cesaréia, na casa do centurião romano Cornélio, anuncia a fé cristã, o kerigma, e batiza Cornélio, o primeiro pagão, com toda a sua família.

O Kerigma leva à aceitação de Cristo e à sua mensagem, com o Batismo. Neste anúncio, Pedro lembra os fatos principais da vida de Jesus e O chama de ungido pelo poder de Deus; conta que Jesus passou fazendo o bem e curando todos os oprimidos; testemunha, depois, a morte de Jesus na Cruz e sua Ressurreição; enfim, Pedro conclui: quem acredita nele, recebe, pelo seu nome, a remissão dos pecados.

Os discípulos são as testemunhas da Ressurreição, da Vitória da vida sobre a morte.

Em Cl 3,1-4, Paulo diz: Se ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas do alto. O Batismo nos une a Cristo Ressuscitado, e a nossa vida deve ser uma vida nova, afirma ele.

Em Jo 20,1-9 os seguidores de Cristo O procuram e mostram a fé em sua Ressurreição: Maria Madalena, no primeiro dia da semana (o domingo, um novo tempo), ainda no escuro, procura no túmulo o Cristo morto. Vendo o túmulo vazio, pensa que roubaram o corpo do Senhor. Mas quando ela O encontra, a fé nasce em seu coração. Ela representa a nova comunidade, que lida com a morte e procura Jesus morto no túmulo. Diante do sepulcro vazio, ela percebe que a morte não venceu! Jesus está vivo!

Para Pedro, a morte é fracasso e recusa aceitar que a vida nova passe pela Cruz. Para ele a Ressurreição de Jesus é absurda e sem sentido. Com surpresa, ele vê o túmulo vazio e os panos dobrados. Mas continuou no escuro: Viu e não creu.

O Discípulo que Jesus amava, diante do sepulcro vazio, entende os sinais e vê que a morte não venceu; descobre que Jesus está vivo. Por isso, ele viu e acreditou. É a primeira profissão de fé na Ressurreição. Ele representa o discípulo ideal. É o modelo do homem novo recriado por Jesus. Enfim, o Amor leva o discípulo pelo caminho da fé.

João não usa o seu nome para você poder usá-lo e se identificar com o Discípulo.

As Mulheres deixam logo o lugar da morte e correm para anunciar aos irmãos que Cristo está vivo. Representam os que crêem na vitória da vida e testemunham aos irmãos sua fé.

Os Guardas se corrompem, demonstram amor aos bens desse mundo, e se põem do lado da mentira e não da Verdade, preferem a morte e não a Vida.

A Páscoa, celebração máxima da Igreja, é sempre atual! Não é só passado! Em cada celebração, Deus nos convida a morrermos com Cristo, a deixarmos o homem velho do pecado e nos revestirmos do homem novo, a ressurgir para uma vida nova, de santidade e de graça. A Páscoa é todo dia, em especial, no Domingo. Os mistérios pascais se renovam em cada Missa e nos abrem à Páscoa que não tem fim.

Feliz Páscoa a todos! Cristo vive glorioso! Cristo, ontem, hoje e sempre!

Aleluia! A alegria do Senhor é a nossa força!

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano


Artigos Recentes