IIº DOMINGO DA PÁSCOA: A COMUNIDADE

Todo Domingo é Páscoa, Dia do Senhor Ressuscitado. A Comunidade Cristã é o lugar do Encontro com Jesus Ressuscitado. Nós nos reunimos em clima pascal, em nome de Jesus, para proclamar nossa fé na Ressurreição.

At 5,12-16 é o retrato da vida da Comunidade de Jerusalém, uma comunidade viva que continua a Missão de Jesus: Todos os fiéis se reuniam, com muita união; eram pessoas estimadas pelo povo: O povo estimava-os muito! A comunidade exercia forte atração sobre todos: Crescia sempre mais o número dos que aderiam ao Senhor pela fé.

O que é que a faz atrair? Os gestos concretos de amor: o Ressuscitado não pode ser visto, mas a Comunidade é vista com sua vida e testemunha que Cristo está vivo. A comunidade cristã é Sinal Visível de Cristo ressuscitado. Os prodígios que realizam são os sinais da presença de Cristo entre eles.

Em Ap 1,9-19 Jesus caminha com sua Igreja! Os cristãos nada têm a temer, pois Ele lhes dá forças para caminhar e vencer tudo o que se opõe à vida nova.

Em Jo 20,19-31, o Cristo vivo e ressuscitado é o Centro da Comunidade. Mesmo insegura e frágil, cheia de medo, ela se apóia em Cristo e d’Ele recebe a vida que a anima e que lhe permite enfrentar as dificuldades e as perseguições. Na vida da comunidade, encontramos as provas de que Jesus está vivo.

O texto mostra dois encontros dos apóstolos com Cristo Ressuscitado. Domingo é o 1o dia da semana ou oito dias depois. Domingo é o dia do encontro da comunidade com o Ressuscitado, dia da Eucaristia. Nas celebrações dominicais a experiência pascal se renova. É no encontro com o amor fraterno, com o perdão dos irmãos, com a Palavra proclamada, com o pão de Jesus partilhado, que se descobre Jesus ressuscitado.

A Assembleia é o lugar do Ressuscitado! Ele se faz presente onde a Comunidade está reunida. Rezar em casa ou assistir a missa na TV não basta. Para os doentes e idosos, é o que podem fazer como experiência de Deus.

O Ressuscitado liberta do medo e traz Alegria. A comunidade, frágil e insegura, está fechada, com medo do mundo hostil. Com portas trancadas por medo dos judeus! Fechado está o coração deles, mais do que portas e janelas. – A ela aparece Jesus, no meio deles, e transmite o Dom da Paz e do Perdão: A Paz esteja convosco! A quem perdoardes os pecados, eles serão perdoados. – Jesus comunica o Espírito Santo: Soprou sobre eles! Recebei o Espírito Santo! Isso lembra o sopro de Deus na Criação. – Jesus envia em Missão: Como o Pai me enviou, eu também vos envio!

Tomé exige provas e só acredita vendo. O testemunho da Comunidade não basta, nem os sinais de vida nova que ela mostra. Está fora da comunidade e não encontra o Cristo ressuscitado. – Ao voltar à comunidade, no dia do Senhor (Domingo), encontra o Ressuscitado e faz uma linda profissão de fé: Meu Senhor e meu Deus!

Quem não encontra o Ressuscitado na Comunidade precisa de provas para crer.

As dúvidas de Tomé atestam a fé da Comunidade apostólica, evidencia o realismo da Ressurreição e nos convida a crer firmemente no mistério, mesmo sem ter visto.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano


Artigos Recentes