Solenidade da Ascensão do Senhor: A MISSÃO

Na Ascensão do Senhor temos os últimos momentos de Jesus com os apóstolos e sua volta ao Pai. O texto mostra a expectativa da comunidade cristã primitiva que esperava a segunda vinda de Cristo. Não importa saber quando, mas cumprir hoje a Missão.   

At 1,1-11 narra a Ascensão que coroa a obra redentora de Jesus e chama a anunciar a vida nova do Reino. Ungidos com o Espírito, serão testemunhas até os confins do mundo.

A Ascensão não é uma viagem interespacial. O Céu não é um lugar! É estar com Deus! Não é uma festa para olhar o céu, desligados dos problemas da vida. Não é um fato isolado. Faz parte do Mistério Pascal: Paixão, Ressurreição, Ascensão e Pentecostes. Não é só um fato acontecido 40 dias após a Ressurreição. O número 40 é o tempo que prepara os apóstolos para a Missão. – A Ascensão é um convite para seguir Jesus, olhando para o futuro e entregando-nos à realização do projeto de salvação e libertação que Ele veio apresentar e passou para as mãos da Igreja, animada pelo Espírito Santo.

Em Ef 1,17-23 Paulo vê na Ascensão a glorificação de Cristo e anúncio do retorno de toda a humanidade à Deus. A Ascensão de Cristo já é nossa Ascensão em Cristo, pois onde está a cabeça ali está também o corpo.

Lc 24,46-53 termina com o episódio da Ascensão, em Betânia, no mesmo dia da Páscoa, quando Jesus dá as últimas recomendações e envia os discípulos ao mundo para anunciar o seu evangelho. Lucas mostra, assim, que a Ascensão de Cristo ao céu não é o fim da sua presença entre os homens, mas o começo de uma nova forma de estar no mundo. Sua presença acompanha com sinais a Missão evangelizadora dos discípulos.

A Ascensão é o término da missão terrena de Jesus, mas Ele age pelo Espírito Santo. A Ascensão é o início da missão da Igreja que continua o que Jesus começou. A Ascensão fortalece nossa Esperança. Nós saímos de Deus para um dia voltarmos a ele. É a fascinante vocação do homem, elevar-se, emigrar para um mundo novo. É um movimento para o alto, um impulso para o infinito, uma procura da vida que não tem fim. E Jesus, que se eleva, nos convida para esta aventura maravilhosa. Subiu não para se afastar da nossa humildade, mas para nos dar a esperança de que um dia iremos ao seu encontro, onde ele nos precedeu. (Prefácio)

A Ascensão de Jesus prepara nossa Ascensão: Vou preparar um lugar para vocês, diz Jesus. Ele preparou esse lugar, voltando para o Pai. Compete agora a nós conquistar esse lugar.

O olhar dos apóstolos para o céu fala da esperança de uma volta imediata de Jesus, o desejo de que ele retomasse a obra interrompida. Mas a voz do céu esclarece que Jesus não volta para continuar a difusão do Reino de Deus, mas eles devem continuar sua obra.

E nós, aguardando nossa Ascensão, não cruzemos os braços, só olhando para o céu, diante de injustiças, violência, guerras. Pelo contrário, devemos cumprir a ordem deixada por Cristo: Vocês serão as minhas testemunhas! Também nós somos advertidos pelos anjos: Por que ficais aí parados, de braços cruzados, olhando para o céu? É nossa hora de olhar partir para a Missão. Jesus disse: Permanecei na cidade, até que sejais revestidos da força do alto. E eles esperaram a vinda do Espírito Santo pela Oração. Assim a Vida da Igreja não começa com a Ação, mas com a Oração, junto com Maria, a Mãe de Jesus.

Neste domingo (02), é celebrado o 53º Dia Mundial das Comunicações, com o tema Somos membros uns dos outros (Ef 4,25): das comunidades de redes sociais à comunidade humana. O Papa nos convida a ser um só corpo, para que as mensagens em rede não criem inimizades ou exclusões, mas sejam instrumentos de comunhão.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano