Solenidade de Pentecostes: Nasce a Igreja

Pentecostes encerra o Tempo Pascal e começa o tempo da Igreja. Esta festa antiga, para Israel, era festa das colheitas. Depois se tornou celebração da Aliança do Sinai, 50 dias após a Páscoa. Era a festa da Lei. Hoje é a Plenitude do Mistério Pascal, o Dom do Espírito Santo à Igreja, o Natal da Igreja, o Dia das Comunidades, o Dia da nossa Crisma.

Em At 2,1-11 Lucas traz o fato 50 dias após a Páscoa, no Pentecostes judeu. Para Lucas, a Igreja é Comunidade que nasce de Jesus, assistida pelo Espírito, chamada a testemunhar o projeto do Pai. Para isso se serve de imagens: o vento e chamas de fogo: O fogo transforma qualquer matéria: transforma os medrosos apóstolos em ardorosos anunciadores das maravilhas de Deus; o vento sinaliza o movimento que se opõe à passividade. Esses dois elementos são o combustível para a Igreja em sua missão, ontem e hoje, de anunciar as maravilhas de Deus em todas as línguas e na linguagem de hoje.

Lembram a 1a Aliança no Sinai, com trovões e relâmpagos. O Espírito é a Lei da Nova Aliança e por Ele forma a Nova Comunidade do Povo de Deus. É o oposto de Babel: desmoronam as barreiras de línguas e raças para formar um novo povo, sem fronteiras, onde todos se entendem. Todos falam a mesma linguagem a língua do Espírito de Jesus.

Em 1Cor 12,3b-7.12-13, Paulo afirma que o Espírito Santo é a fonte de onde brota a vida da comunidade cristã. É ele que concede os dons que enriquecem a comunidade e fortalecem a unidade de todos os membros. Abertos ao Espírito Santo, Ele realiza hoje as maravilhas que realizou no começo da Igreja.

Em Jo 20,19-23, os Apóstolos recebem a efusão do Espírito Santo, no anoitecer do dia da Páscoa. Reunidos de portas fechadas por medo das autoridades, Jesus ressuscitado aparece no meio deles, deseja A Paz esteja com vocês e os envia em Missão: Como o Pai me enviou, eu também vos envio. Para isso, sopra sobre eles, transmite-lhes a vida nova, a força, o Espírito Santo: Recebei o Espírito Santo! e o Dom do Perdão e da Reconciliação.

A missão do cristão é levar Paz, Perdão, e construir Comunidade. O mesmo Espírito que ajudou Jesus a realizar o projeto do Pai, é quem anima a Comunidade hoje. O Pentecostes continua acontecendo em nossa vida também.

No Batismo recebemos o Espírito Santo pela 1a vez, sendo inseridos na Igreja como membros da família de Deus e obra do Espírito Santo. Mas é na Crisma que recebemos a Plenitude do Espírito Santo e nos tornamos membros adultos, atuantes e responsáveis na Igreja. Por isso, o Batismo é a nossa Páscoa, e a Crisma é o nosso Pentecostes.

Na história da salvação, Deus sempre escolhe uma pessoa para uma missão importante, ungindo-a com seu Espírito, como os Sacerdotes, Profetas e Reis. Cristo recebeu o Espírito no Batismo, antes de iniciar a vida apostólica; Maria, quando aceitou ser a Mãe do Salvador; assim é todo cristão quando inicia sua missão de cristão adulto.

A chama do Espírito Santo transformou totalmente os apóstolos. A Igreja nasce e se renova constantemente por obra do Espírito Santo, chama que ilumina e aquece a nossa vida no caminho da Unidade, do Bem e da Verdade.

Por isso, peçamos sempre o ‘dom do Espírito Santo’ para que renove todas as coisas.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano