XIIº Domingo do Tempo Comum: Tu és o Cristo!

Os cristãos se reúnem para celebrar Jesus Cristo. Mas quem é Ele? A Palavra de Deus nos lembra que Jesus é ‘o Messias de Deus’ que nos liberta com o Amor e o Dom da vida. Ele nos convida a fazer da própria vida um dom para os irmãos.

Zc 12,10s-13,1 mostra a imagem do Messias: homem justo e inocente transpassado, servo sofredor que quer a conversão e a volta para Deus. João viu esse personagem em Jesus.

Gal 3,26-29 diz que o Batismo nos revestiu da vida nova em Cristo. Por isso, devemos renunciar à vida velha do pecado e do egoísmo para viver no Amor de Deus e dos irmãos.

Lc 9,18-24 é a profissão de fé de Pedro no Messias e o anúncio da Paixão. Ao terminar sua atividade na Galiléia, após a oração, Jesus pergunta aos Apóstolos: Quem sou eu no dizer do povo? Cristo quer saber o que pensam dele, sua identidade e Missão… não sobre sua popularidade. Eles respondem-lhe: João Batista, Elias ou um dos antigos profetas. Jesus aí é visto como um grande Mestre, operador de milagres: só um homem.

Mas, Ele espera uma resposta melhor dos discípulos que viram os milagres e ouviram sua doutrina. E pergunta: Mas para vós, Quem sou eu? Pedro, em nome deles, responde: Tu és o Cristo de Deus! Eles esperavam um Messias-Rei político, poderoso, vitorioso. Esta resposta ainda não basta, para Jesus. Ele lhes fala do seu caminho, de sua Paixão, como Servo Sofredor, desprezado e rejeitado pelos homens, como diz o profeta. Isso foi duro e frustrante para os discípulos. Jesus não volta atrás e diz que o Caminho do Discípulo é o mesmo: Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz de cada dia, e siga-me. Jesus vai à frente, dá o exemplo, e leva a Cruz. Ser seu discípulo significa imitá-lo. E conclui: Aquele que quiser salvar a sua vida vai perdê-la; mas quem a perder, por minha causa, esse se salvará.

Para seguir Jesus, 3 coisas são necessárias: renuncie a si mesmo, tome sua Cruz, e me siga!

1) Renuncie a si mesmo! Libertar-se de toda ambição pessoal. Libertar-se das seguranças em que ‘o eu’ se apóia para estar disponível a seguir a Jesus.

2) Tome sua Cruz cada dia! Libertar-se do apego à vida e estar pronto a morrer no dia-a-dia do cristão. A Cruz é Sinal do cristão. Está presente em toda parte, com muitos nomes.

3) E siga-me! Só quem se libertou do eu e do apego à vida, pode seguir Jesus até o fim, abandonando-se a Deus em favor dos homens.

Seguir Jesus não é apenas reconhecê-lo como Messias e acreditar nas verdades da catequese: é segui-Lo no caminho do amor, da verdade e da justiça.

Muitos reconhecem Jesus como o grande Mestre do amor e da fraternidade, da paz e da justiça, muitos o admiram pela atenção aos pobres e excluídos, muitos o apreciam pela coragem e coerência, pela nobreza de espírito e fortaleza diante da dor e da morte, mas, para eles os verdadeiros messias são outros: os políticos e famosos, os ricos e poderosos.

Quem é Jesus para nós? Para nós, não basta dizer algo ou dar uma opinião sobre Jesus. O que importa é nossa experiência de fé, esperança e amor. Cristo deve estar no centro de nossa vida e nos transformar. Assim, em diálogo nos identificamos com Ele e O amamos.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano