XIVº Domingo do Tempo Comum: A missão

Deus sempre escolhe e envia pessoas em missão para realizar seus planos de amor.

Estas Leituras falam de três envios: um profeta anônimo, Paulo e os 72 discípulos.

Is 66,10-14c mostra o profeta que proclama o amor de Mãe que Deus tem pelo seu Povo: Como Mãe que consola o filho, virei em pessoa para vos consolar.

Em Gal 6,14-16, Paulo testemunha: Eu me glorio na Cruz de Cristo.

Em Lc 10,1-12.17-20, Jesus envia os 72 discípulos. Esta Missão tem duas partes: o envio e a volta da Missão. Vejamos as instruções de Jesus sobre a missão, aos discípulos:

1. A Missão: Os destinatários são todos os povos e raças; 72 eram os povos conhecidos, então.

– O objetivo é ir à frente de Jesus preparando sua chegada. Tarefa dos discípulos não é pregar a si mesmo, mas preparar o caminho de Jesus e testemunhá-Lo. Ir à frente, como João Batista, é revelar e apontar Jesus presente no meio dos homens, mas que ainda não é conhecido.

– O método é ir dois a dois:anunciar o evangelho não é iniciativa pessoal, mas comunitária.

– A fonte da missão é a oração: Rogai! A messe é grande!

– Anunciar o Reino em uma sociedade hostil: Eu os envio como cordeiros em meio a lobos.

– Ser pobres, desprendidos, sem grandes recursos. O anúncio do Reino não depende do poder dos meios usados: Não levem bolsa, nem sacola, sandália.

– Ser simples, pastores com cheiro de ovelhas, confiar na hospitalidade: Comei e bebei o que oferecerem.

– Ter grande confiança no Pai, mesmo quando os frutos não são visíveis.

– Conteúdo da Mensagem: O Reino está próximo de vós!

– Anunciar a PAZ: Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro, a Paz!

– Mostrar nos gestos do Reino o que anunciam em palavras: Quando entrardes numa cidade, curai os doentes, e dizei que o Reino de Deus está próximo.

– Um Alerta: A quem não vos receber, sacudi o pó de vossas sandálias. Deus respeita a liberdade de aceitar ou não, mas quem não O aceita, torna-se responsável pela sua recusa.

2. A volta da Missão: Voltam alegres contando as realizações. Jesus escuta com interesse. Quanta alegria em refletir e celebrar juntos as pequenas e grandes conquistas. Como é importante encontrar quem nos escute.

Mas Jesus avisa para não se envaidecer com o sucesso. Alegrem-se antes porque seus nomes estão escritos nos céu. Jesus não está preocupado com a pastoral de resultados.

A qualidade dos missionários não se mede em números, nem igrejas cheias. Para Jesus a Cruz já é a glória. Ele foi fiel até a morte, e morte de Cruz, por isso Deus o exaltou!

Sua oração fala dos evangelizados: Pai, eu te louvo, porque ocultaste estas coisas aos sábios e as revelastes aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado!

Somos nós, hoje os 72 discípulos missionários. A Igreja nos convoca a viver em estado permanente de Missão. O Papa Francisco pede uma Igreja em saída, rumo às periferias existenciais, em busca dos afastados e dos que não conhecem Jesus Cristo, na busca de uma Sociedade mais justa, fraterna e solidária, a serviço da Vida, do Amor e da Paz.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano