XVº DOMINGO DO TEMPO COMUM: MEU PRÓXIMO

Nós queremos a Vida eterna. Como conquistá-la? Com o amor a Deus e ao próximo, nos dizem as leituras: – Em Dt 30,10-14, Moisés propõe os Mandamentos: Ouve a voz do Senhor, teu Deus, e observa todos os seus Mandamentos. Esta lei não está acima de tuas forças; pelo contrário, ela está bem perto de ti, está em tua boca e em teu coração.

Os Mandamentos de Deus, mais que ordens, são respostas aos anseios da pessoa, e caminho para a Felicidade eterna. Foi Deus que gravou esses preceitos em nosso coração.

Cl 1,15-20 mostra Cristo como o centro de toda a criação. Neste hino, Paulo apresenta Cristo como imagem do Deus invisível e o primogênito de toda a criatura.

Em Lc 10,25-37, Cristo responde a duas perguntas do Mestre da Lei:

1. Que devo fazer para alcançar a vida eterna? Jesus diz: O que diz a Lei? Ele resume os 613 preceitos em dois: Amor a Deus e Amor ao Próximo.(Dt 6,5; Lev 19,18) Jesus concorda: Respondeste bem! Faze isto e viverás! E a segunda pergunta:

2. E quem é o meu próximo? Na época de Jesus, próximo era membro do Povo de Deus, não os inimigos, os pecadores e não praticantes. Jesus responde com um exemplo, a Parábola do Bom Samaritano: Um homem é assaltado por ladrões que o deixam jogado meio morto à beira da estrada. Ali passa um sacerdote que sabe tudo sobre a Lei: vê o homem jogado, mas vai adiante. Passa um levita que trabalha no templo, mas não sabe nada de Deus e sua misericórdia. Vê o homem e vai em frente. Passa um samaritano que não conhecia a Lei de Moisés. Esse pagão sente compaixão (sentimento de Deus). Supera a hostilidade entre judeus e samaritanos, esquece seus negócios, compromissos, cansaço e medo. Aproxima-se, derrama óleo e vinho nas feridas. Depois o põe em seu animal e completa os cuidados na pensão. Jesus aponta o próximo, diz: Vai e faze tu o mesmo!

Na Parábola, a Vida eterna está no Amor a Deus vivido no Amor ao Próximo. Para ter a vida devemos fazer de quem está perto de nós o nosso próximo. Próximo é o irmão que precisa de ajuda e amor. Mais que saber quem é o próximo, o que vale é tornar-se próximo de quem precisa. Próximo é quem age com misericórdia e compaixão.

Cristo é o verdadeiro Bom Samaritano que antes de ensinar a Parábola a pratica,  acolhe a todos e nos convida: Vai e faze tu o mesmo! Esse gesto é fundamental na missão da Igreja.

Aqui, são três os passos para o amor misericordioso: ver, ter compaixão e agir.

Ver quem é o nosso Próximo, hoje: os amigos, os familiares, quem nos ajuda, gente do nosso grupo, ou também as pessoas à beira das estradas, assaltadas pela violência ou opressão, que precisam de nossa ajuda e compaixão!

A nossa atitude para com elas não pode ser a do sacerdote ou do Levita, que olharam o coitado e passaram à frente, porque não tinham tempo, deviam cuidar dos seus trabalhos.

A atitude do Bom Samaritano é a compaixão: mesmo em viagem, ele sabe parar e oferecer ao coitado os cuidados que estavam ao seu alcance para suavizar a sua situação.

Que o Bom Samaritano Jesus nos ensine a ver o próximo que precisa de ajuda, a ter compaixão dele e a atender às suas necessidades.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano