XXII Domingo do Tempo Comum: Os primeiros lugares

É comum ver pessoas que buscam os primeiros lugares. A Palavra de Deus propõe um caminho diferente, de humildade e gratuidade.

Eclo 3,19-21.30s fala que os sábios têm a graça do Senhor, que a humildade Lhe agrada, fazendo-se pequeno, reconhecendo a grandeza de Deus e tendo confiança n’Ele. E diz: Não existe remédio para o mal do orgulhoso, pois uma planta ruim está enraizada nele.

Hb 12,18s.22-24ª diz que a vida cristã exige valores e atitudes: humildade, simplicidade, amor.

Lc 14, 1.7-14 mostra que Jesus cria uma nova humanidade baseada na humildade. Jesus vai a um banquete na casa de um fariseu, e fica impressionado com a corrida pelos primeiros lugares. E conta duas parábolas: A 1ª é para os convidados: Aos que escolhiam os primeiros lugares diz que quem ocupou o primeiro lugar tem de cedê-lo a um mais importante. O que ocupou o último lugar foi convidado para um lugar melhor. E Jesus conclui: Quem se exalta será humilhado e aquele que se humilhar será exaltado.

A 2ª é para quem convida: Quando deres uma refeição, não convides os que poderão te retribuir. Pelo contrário, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos. Terás uma recompensa na ressurreição dos justos.

Jesus propõe humildade na escolha de lugares e gratuidade na escolha dos convidados. E hoje muitos continuam atrás de primeiros lugares, na busca do trabalho que dá mais lucro, do status e do cargo que dá poder, ou se frustrando quando não o conseguem.

Também na Igreja há pessoas que buscam os primeiros lugares. Mas elas sabem que são chamadas a servir e se doar na humildade e simplicidade, evitando a ambição e a busca de títulos, honras, homenagens, privilégios.

Lucas mostra que as relações entre os irmãos da comunidade não se baseiam em critérios comerciais, mas no amor gratuito e desinteressado. Só assim todos terão lugar na comunidade fraterna, inclusive os que não têm poder, nem dinheiro para retribuir.

É bonito ver Comunidades humildes, solidárias e unidas nas Lideranças, Pastorais e Movimentos. Assim, não se gasta tanta energia em críticas e implicâncias disfarçadas de competição. Também na política, o que deve valer é o desejo sincero de servir bem o povo, e não a corrida pelos primeiros lugares, a busca de vantagens para pessoas ou grupos, a ponto de fazer uso de qualquer meio para atingir estes fins.

Diante do costume de cultivar quem nos garanta vantagens, lucros, fama, poder, posição social, Jesus nos convida a uma atitude de gratuidade.

Como é bom ouvir pessoas simples dizerem Deus lhe pague quando fazemos algo para elas. Sim, o próprio Deus se torna o nosso grande fiador.

Ao iniciar o mês da Bíblia, damos graças a Deus sua Palavra de vida, por ter inspirado os escritores sagrados e por ungir e guiar os que anunciam o Evangelho em nossos dias.

A nós cabe acolher a Palavra e vivê-la dia a dia.

E hoje, guardemos a Palavra ouvida: – Não ocupar os primeiros lugares e, sim, servir os irmãos com simplicidade, humildade e gratuidade.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano