Outubro extraordinário

O ano caminha para seu final e promete muitas emoções e surpresas que certamente irão nos envolver e desafiar. Este outubro traz consigo o foco de grandes discussões sobre o respeito e cuidado com a natureza e meio ambiente com a realização do Sínodo para a Amazônia que se realiza no âmbito do mês missionário extraordinário, ambos convocados pelo querido Papa Francisco.

Nossa missão é a mesma que Jesus entregou aos seus apóstolos, ou seja, continuar proclamando o Reino de Deus que se estabelece já neste mundo quando vivemos a justiça, a caridade, a fraternidade, a fé e o amor de tal forma que esses valores, impregnados em nossa vida lançam a base de uma nova sociedade. Evangelizar é proclamar a “Notícia Boa” do Reino e do amor do Pai para nós, é anunciar que além das tragédias e desgraças que fazem crescer a audiência de certos programas de televisão ou aumentam a venda de revistas e jornais sanguinários que não têm consideração pelo ser humano, o cristão tem a certeza da fé e a confiança em Jesus Cristo que são maiores que as dificuldades e problemas a ser  enfrentados. Nossa alegria de saber que somos amados por Deus anima e entusiasma a nossa vida para continuar a missão de fazer acontecer os sinais do Reino onde nós vivemos.

Neste contexto da “Missão” acontece o Sínodo para a Amazônia, convocado pelo Papa para nos fazer voltar o olhar para essa região vasta e tão importante para o nosso planeta. Desde o início de seu pontificado, papa Francisco deixou clara a preocupação com o meio ambiente, publicou a encíclica “Laudato Si” trazendo à tona questões que passam despercebidas quando o mercado domina as relações entre países e governos que levam em consideração o lucro monetário desrespeitando a nossa “casa comum” que deve abrigar todos os filho e filhas de Deus chamados a viver e crescer e manifestar as feições do nosso Pai que habita o coração do ser humano nem sempre valorizado pelos seus semelhantes.

A Amazônia, importante região que abrange diversos países, engloba nações de diversos povos, biomas, ecossistemas que correm sério risco de desaparecerem pela erosão causada pela ganância desmedida dos que só exploram a natureza, a vegetação, o subsolo causando uma grande chaga na obra criada por Deus. Mas não é só isso. A evangelização nessa área é preocupação antiga; as longas distâncias, a carência de padres, as comunidades que se esforçam para manter acesa a chama da fé e da fraternidade. Momento ímpar para todo o mundo e toda a Igreja olharem para essa região com suas fraquezas e belezas e ver que ali o Evangelho vive e entusiasma as pessoas.

Desde há muito tempo, a Igreja no Brasil tem realizado projetos e colaboração com a região amazônica no sentido de favorecer as comunidades e os povos que lá vivem. Muitos cristãos, missionários, religiosos e padres derramaram seu sangue para que o Evangelho da vida fosse semeado naquele vasto mundo na metade da terra. E muitos outros continuam evangelizando sem desânimo. Os desinformados ou mal intencionados criam intrigas entre as pessoas e, falando mal a respeito desse Sínodo fazem aparecer confusões desnecessárias. Sínodo é um grande momento para a Igreja e para os cristãos; tempo de caminhar juntos, de pensar soluções e alternativas para que a vida aconteça como Deus pensou ao criar o universo. É também tempo de conversão, de mudança de atitudes, mudança de pensamentos e, ao mesmo tempo, é oportunidade de sonhar com os novos céus e a nova terra.

Pe. João Paulo Ferreira Ielo
Pároco da Paróquia Imaculada Conceição de Mogi Guaçu