XXXIV Domingo do Tempo Comum: Nosso Rei!

A solenidade de Cristo Rei do Universo coroa o Ano Litúrgico. A Bíblia fala muito de reinos. Ao celebrar Cristo Rei do universo, celebramos nossa participação em sua realeza confirmada na Cruz. Seu Reino não passa… Os outros reinos deste mundo passam…

Em 2Sm 5,1-3, Davi é ungido Rei das tribos de Israel. Seu reino fala do Reino de paz e justiça que Deus quis instaurar na terra. Os Profetas prometem a Vinda de um descendente de Davi que iria realizar esse sonho. Israel esperou por séculos essa Vinda.

Lc 23,35-43 é realização da promessa: Nosso Rei reina do Trono da Cruz. O Bom Ladrão professa sua realeza. A Cena surpreende e decepciona. Cristo não está em trono de ouro, mas pregado na Cruz, com a coroa de espinhos na cabeça e a irônica inscrição na Cruz: Jesus Nazareno Rei dos Judeus. Ele não está rodeado de súditos fiéis que o louvam, mas de chefes judeus que o insultam e soldados que o escarnecem. Nada o identifica com poder e realeza terrena. A inscrição, irônica aos olhos dos homens, relata a situação de Jesus na perspectiva de Deus: Ele é rei que preside, da Cruz, a um Reino de serviço e amor, de entrega e dom da vida.

O quadro se completa por uma cena forte. Dois malfeitores crucificados com ele: um o insulta, como os que recusam a proposta do Reino; outro reconhece o Reino de Jesus, no suplício da cruz, e pede um lugar nele. Jesus lhe garante: Hoje mesmo estarás comigo no paraíso.

A Cruz é o Trono, em que se manifesta plenamente a realeza de Jesus, que é perdão e vida plena para todos. A Cruz é a expressão máxima de uma vida feita Amor e Entrega.

Cl 1,12-20 é um Hino Cristológicoda Igreja primitiva que acentua a Soberania absoluta de Cristo na Criação e na Redenção. Cristo é o Centroda vida e da história.

O Sl 122 revela a alegria dos peregrinos que sobem a Jerusalém e encontram o Senhor.

O Prefácio define o Reino de Cristo: Seu Reino, Eterno e Universal, é o Reino da Verdade e da Vida, Reino da Santidade e da Graça, Reino da Justiça, do Amor e da Paz.

No Evangelho, a Missão de Cristo nessa terra é inaugurar o Reino de Deus; a Missão da Igreja é continuar o anúncio do Reino de Deus e convocar a todos para construí-lo na terra. Jesus nos convida a fazer parte do Reino e trabalhar para que ele chegue a todos.

A missão do Leigo, cuja festa hoje celebramos, é ser Protagonista da Evangelização (Stº Domingo) e Discípulo Missionário (Doc. de Aparecida). Por isso, rezamos no Pai Nosso: Venha a nós o vosso Reino! Celebrar Cristo Rei não é celebrar um Deus forte, dominador, que se impõe com prepotência e os assusta com gestos espetaculares; é celebrar um Deus que serve, acolhe e reina nos corações com a força do amor. A Cruzé o trono do Deus que recusa o poder e escolhe reinar no coração dos homens através do amor e do dom da vida.

A festa de Cristo Rei nos convida a repensar nossa existência e nossos valores:

– O rei despojado de tudo e pregado numa Cruz, torna ridículas nossas pretensões de honra, glória, título, aplausos e reconhecimento.

– O rei que dá a vida por amor, vence nossas manias de grandeza, as lutas por mais poder, as invejas mesquinhas, as rivalidades que magoam e separam os irmãos.

O rei que se dá sem guardar nada para si, nos convida a fazer da vida um dom. Nós somos felizes como cidadãos do Reino. Por isso, alegremo-nos dessa dignidade e façamos com que Ele tenha um lugar sempre maior dentro de nosso coração.