Dom Vilar manifestou seus agradecimentos em virtude da Beatificação do Beato Donizetti

23 de Novembro de 2019, na cidade de Tambaú – São Paulo

“Saudações: – Eminência Rvma, Angelo, Cardeal Becciu, Cardeal Becciu; Eminências – Odilo, Cardeal Pedro Scherer; – Orani, Cardeal João Tempesta; Excelências – Dom José Magela (Pouso Alegre), João Inácio (Campinas), Moacir Silva; Autoridades civis, militares e personalidades; Equipe da postulação; Padres, Diáconos, Religiosos(as), Seminaristas, Irmãos e irmãs em Cristo!

– Eminência Rvma, Angelo, Cardeal Becciu, agradecemos em sua pessoa, à Sua Santidade, o Papa Francisco, por inscrever o venerável servo de Deus Donizetti Tavares de Lima no número dos Bem-Aventurados da Santa Igreja. Se para os devotos do Padre Donizetti ele sempre foi considerado santo, hoje chegou o dia tão esperado em que a própria hierarquia da Igreja confirma e declara, oficialmente, a santidade do B. A. Donizetti.
Este é o dia que o Senhor fez para nós: alegremo-nos e n’Ele exultemos! (Salmo 117, 24)
Hoje é o dia de louvarmos e agradecermos a Deus pelo dom, o presente de Deus, do Bem Aventurado Donizetti. A santidade é o rosto mais belo da Igreja, nos diz o Papa Francisco na Exortação Apostólica sobre a santidade Gaudete et Exultate, 9 (Alegrai-vos e exultai).
Esta é a beleza da Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica, presente no Brasil e nesta Diocese de S.J.Boa Vista. Louvamos e agradecemos a Deus que sempre zela e cuida de seu povo com todo amor.
Deus suscitou um pastor segundo o Seu Coração no clero diocesano desta diocese: o Padre Donizetti.
Ele foi o apóstolo da acolhida, um verdadeiro pastor com cheiro de ovelhas, como diz o Papa Francisco.
Ele faz desta cidade de Tambaú a Casa da Mãe Aparecida, acolhendo aqui os seus filhos como um filho predileto que reúne o rebanho de seu Filho Jesus, o Bom Pastor. Aqui ele trouxe e acolheu em festa a imagem da Mãe Aparecida, a resgatou de um incêndio e se empenhou a fim de construir o seu santuário.

Aqui, à frente do rebanho, ele lutou contra as tempestades da vida do povo sofrido, dando-lhes amparo e segurança em Deus, sob a proteção da Virgem Mãe Aparecida.
Aqui, ele apascentou o rebanho e alimentou a fé de todos, abençoando e distribuindo os sacramentos.
Aqui, ele acolheu a todos os que buscavam Deus como sentido para suas vidas de peregrinos na terra.
Aqui, ele nos deixou um exemplo da cultura do encontro e de uma Igreja em saída que tanto nos pede o Papa Francisco, de uma Igreja que vai ao encontro das periferias existenciais, dos pobres, dos doentes, dos desempregados, dos idosos, das crianças, dos sofridos e abandonados.
Hoje, o clero diocesano recebe de Deus seu exemplo de santidade e carisma a ser imitado. Como padre diocesano, seu gesto firme de bênção, nos comunica a salvação de Cristo em sua Cruz. É o gesto de bênção, que, em nome da Santíssima Trindade, nos cumula de graças divinas. Sua imagem nos deixa este legado: uma mão a abençoar e a outra mão junto ao peito, sobre o coração, como um sinal do Coração sacerdotal de Jesus, fonte de toda bênção para o seu povo.
O exemplo e a intercessão do Bem Aventurado Donizetti nos anime e nos fortaleça em nossa vocação e missão; ainda mais, porque ele sempre contou com a mediação de Nossa Senhora Aparecida, a quem sempre recorria. E Ela, a Mãe de Deus e nossa Mãe, lhe alcançava todos os bens de seu Divino Filho. Assim, abençoados, possamos voltar para as nossas casas e comunidades renovados na fé e no amor de Deus”.