I Domingo do Advento: Vigiai

O Ano Litúrgico – A, de Mateus, convida a reviver os Mistérios da História da Salvação. Natal e Páscoa, dois eixos do Ano Litúrgico, vividos em três momentos: antes, durante e depois.

O Advento nos prepara para o Natal do Senhor. Advento significa Vinda, chegada, e nos faz relembrar e reviver as primeiras etapas da História da Salvação, a preparação para a vinda do Salvador.

Hoje nos preparamos para a vinda de Cristo no Natal. Nas duas primeiras semanas esperamos a vinda definitiva e gloriosa do Cristo Salvador. Nas duas últimas semanas lembramos a espera dos profetas e de Maria, preparando o seu nascimento em Belém.

A Liturgia de hoje nos chama à Vigilância, para acolher os Sinais de Deus.

Is 2,1-5 profetiza a vinda de um descendente de Davi que trará justiça e paz para o seu povo. Este oráculo encarna a espera do Antigo Testamento e o Advento pré-cristão. A um povo que vivia em perigo de guerra, anuncia um futuro maravilhoso: a era messiânica na qual todos os povos virão a Jerusalém para adorar o único Deus. As armas se transformarão em instrumentos pacíficos de trabalho e de vida. O sonho do profeta começa a realizar-se em Jesus, mas estamos ainda muito longe dessa terra de justiça e de paz.

Em Rm 13,11-14, Paulo nos convida a acordar para descobrir os sinais do novo dia que já raiou e caminhar ao encontro da Salvação, deixando as obras das trevas e vestindo as armas da Luz.

Mt 24,37-44 é um apelo a uma vigilância permanente, para reconhecer o Senhor na sua chegada. Aqui se realiza o sonho do Profeta. Para transmitir essa mensagem, Jesus usa três quadros:

1º) Na época de Noé os homens viviam inconscientes, preocupados só em gozar a vida, quando o dilúvio chegou, e os apanhou de surpresa e despreparados.

2º) Os trabalhos da vida cotidiana nos absorvem e prejudicam a preparação da Vinda do Senhor.

3º) O exemplo do dono de uma casa que adormece e deixa a sua casa ser roubada pelo ladrão.

O que significa estar vigilante? Mais que estar sem pecado para não ir para o inferno, é acolher as oportunidades de salvação que Deus nos oferece.

Jesus continua vindo para nos salvar e trazer a felicidade. Cabe a nós estar atentos em cada vinda sua. Ele está presente nas palavras de quem nos guia para o bem, nos gestos de amor dos irmãos, no esforço de quem busca construir um mundo mais justo e fraterno.

Hoje, desemprego, fome e violência levam as pessoas a buscar refúgio no sagrado. As práticas religiosas sem compromisso podem ofuscar nossa acolhida da chegada do Senhor. As celebrações nos levem a vigiar e nos alerte para o que devemos transformar. Que elas não sejam sonífero que nos impede de ver a chegada daquele que vem sem avisar.

O que nos impede de acolher o Senhor que vem são os prazeres da vida, prazeres que alienam, que fazem do descanso dominical pura diversão, sem celebrar a fé com a comunidade. Ou o trabalho excessivo torna a pessoa obcecada pelo trabalho e esquece o resto: Deus, a família, os amigos, a própria saúde. A desatenção que leva o distraído a não ver Cristo, presente na pessoa sofredora, e que acha que não é problema seu, mas do governo, da Igreja…

Vamos vigiar e nos preparar para o Natal do Senhor. Para isso, além das festas, presentes, enfeites, músicas, vale a nossa atitude humilde e vigilante diante de Cristo que vem.

A Novena do Natal em Família é uma das maneiras mais fáceis para isso.