COVID-19: Orientações preventivas de Dom Vilar a Diocese

São João da Boa Vista, 14 de março de 2020.

Caros padres e fiéis da Diocese de São João da Boa Vista, Paz e bem!

Para evitar a expansão do Coronavirus, duas semanas atrás indicamos quatro orientações:

1) Distribuir a Sagrada Comunhão somente sob a espécie do pão, não mais sob as duas espécies!

2) Distribuir a Sagrada Comunhão somente na mão!

3) Evitar o Abraço da Paz!

4) Evitar o Pai Nosso de Mãos dadas! E o fizemos, guiados pela CF 2020: ‘Vida, dom e compromisso’, e o exemplo do bom samaritano que ‘viu, teve compaixão e cuidou dele’.

Hoje, respondo a insistentes apelos sobre nossas atividades religiosas diante da pandemia!

Pedimos ao Senhor que nos guie diante desta grave situação, sem alarde, e nos faça serenos e fortes. Ao  mesmo  tempo,  lembro  que,  diante  dos  que  sofrem,  o  Papa  Francisco  pede  dos  pastores proximidade, em especial dos mais vulneráveis.

Assim, definimos estas atitudes válidas até o dia 31 de março:

1.   As sanitárias são as básicas: – Lavar sempre as mãos. Cobrir o rosto quando tossir ou espirrar: usar lenço ou braço. Evitar tocar o rosto. Mudar nosso jeito caloroso de cumprimentar, sem aperto de mão ou mãos dadas, sem abraço ou beijo. Já vale sorrir ou saudar alguém. Intensifique-se a higienização dos ambientes e o uso do álcool gel. Não usar folhetos, envelopes reutilizados. Nas pias de água benta, não por água. Estas atitudes servem para tudo: na Missa, Confissão, catequese, reuniões, etc.

2.   Evitar  aglomerações  que  põem  em  risco  a  saúde.  Já  cancelamos  eventos  diocesanos,  de  maiores concentrações. Caso por caso será necessário discernir a situação.

3.   As Missas: mantê-las com os cuidados acima. E mais ainda: sejam breves a homilia, os cânticos (ato penitencial, salmo, santo, amém, cordeiro – rezados), se houver opção de leitura breve, usá-la, etc. Multipliquem-se as Missas para facilitar a distribuição das pessoas entre elas…

É conveniente deixar bem arejadas as igrejas e locais de celebração, com as janelas e portas abertas. Onde houver espaço, distanciar os bancos ou esparramar as cadeiras.

– Cada paróquia, o pároco com o conselho, decida sobre as suas possibilidades e condições. – Cada pessoa, porém, em consciência, seja responsável em participar ou não. Quem não se sentir, em especial as pessoas idosas, podem se servir das Missas pela TV, Rádio e Internet.

Onde as autoridades civis, devido a ocorrências da doença, proibirem reuniões, obedeça-se, também em relação às Missas, à Catequese e às Confissões.

Se as coisas se agravarem, como diocese poderemos tomar atitudes mais drásticas.

4.   As confissões, insisto, sejam organizadas com os devidos cuidados, evitando o aperto de mão, sem tocar as pessoas na cabeça, nem beijar a mão para a bênção. Todo cuidado é pouco!

5.   Os  encontros  de  catequese:  Onde  o  município  suspender  suas  aulas,  suspende-se  também  a catequese no mesmo período. Onde não suspender, dê-se a catequese sob a orientação do pároco, em comum acordo com os (as) catequistas. Sigam as orientações sanitárias (acima).

6.   Os  Ministros  nos  hospitais  só  devem  ir  em  situações  particulares.  Privilegie-se  a  presença  do sacerdote se for solicitado. A Igreja é mãe e se faz presente no sofrimento de seus filhos doentes.

7.   Os Ministros nas casas dos idosos, neste período de epidemia, só levem a Eucaristia uma vez ao mês,  sob  cuidados  especiais,  considerando  a  condição  de  cada  um,  pois  os  idosos  são  mais vulneráveis.

8.   No  dia  20  de  março,  ‘as  24  horas  para  o  Senhor’,  celebre-se  de  modo  singelo,  respeitando  as orientações acima!

Em tudo, urge intensificar nossas orações! Com fé venceremos esta calamidade.

O cuidado do corpo, sim, é importante, mas o cuidado do espírito vai além e supera tudo: é nossa luz e força na provação!

Além disso, o nosso compromisso é com a vida, e com a vida em plenitude que vem do Senhor da vida!

Ninguém se sinta só ou abandonado neste momento difícil! Isto não é castigo de Deus, mas é um convite à conversão de nossa soberba e do descuido da criação.

Em comunhão de orações, invoco sobre todos as bênçãos de Deus!

+ Dom Antonio Emidio Vilar, SDB
Bispo Diocesano