Ano A – V Domingo da Quaresma: Vida Nova

A Catequese Batismal da Quaresma nos mostra, hoje, no texto de Lázaro, Cristo, Vida e Ressurreição. O cristão nasce no Batismo, da recepção do dom de Deus, pela Água viva da graça, com sua Luz, ou Iluminação, e pela Ressurreição à vida verdadeira.
Ez 37,12-14 anuncia Vida Nova: o Povo, exilado na Babilônia, desesperado e sem futuro, vive em situação de Morte. O profeta prega a esperança aos exilados e transmite a certeza de que Deus não os abanda. Nesta visão dos ossos ressequidos que saem dos túmulos, o Espírito do Senhor sopra sobre eles e eles ganham vida. Deus transforma morte em vida, desespero em esperança, escravidão em libertação. Deus promete ao povo a volta à sua terra, restaura a esperança dos exilados num futuro de felicidade e Paz. O Espírito de Deus nos faz sair dos túmulos da desesperança, do medo. Deus é o Deus da vida plena.
Em Rm 8,8-11, Paulo lembra que o Espírito de Deus ressuscitou Cristo e o introduziu na glória do Pai. No Batismo, nós recebemos o mesmo Espírito, que dá vida.
Em Jo 11,1-45, Jesus é o Senhor da Vida: Mandam dizer que Lázaro está doente. E Jesus parece não se preocupar. Os apóstolos estranham. Jesus os acalma ao dizer que Essa doença é para a glória de Deus… e que Ele está dormindo… e fica com eles mais dois dias.
No Encontro com Marta, Jesus se comove e chora. Não é choro ruidoso, desesperado, mas de afeto e solidariedade. O povo até comenta: Vede como ele o amava!
Então, Jesus afirma: Eu sou a ressurreição e a Vida! Aquele que crer, ainda que estiver morto viverá! Você crê nisso? Marta professa sua fé: Sim, eu creio que tu és o Cristo!
No sepulcro Jesus pede para tirar a pedra que separa o mundo dos vivos do mundo dos mortos, e faz a Oração: Pai, eu te dou graças, porque me ouvistes. E ordena: Lázaro, vem para fora! E acrescenta: Desatai-o e deixai-o andar! E Lázaro recupera a Vida.
A Morte causa duas formas de solidariedade: Os amigos e vizinhos na casa de Marta e Maria vem dar pêsames e fazer lamentações aos gritos, no desespero. E Jesus nem entra na casa, no ambiente de desespero. Fica fora e chama para fora. Há dois choros, mas diferentes.
A Família de Betânia é a Comunidade cristã, de irmãos e irmãs, sem pais. Todos conhecem Jesus, são seus amigos que o acolhem em sua casa e sua vida. A família faz experiência da morte. Mas os amigos de Jesus sabem que Ele é Ressurreição e Vida, e que dá vida plena aos seus. A morte é apenas a passagem para a vida plena.
A Ressurreição de Lázaro é um Sinal, 7º e último antes da Paixão. A Ressurreição de Lázaro é prefiguração da Ressurreição de Cristo. O Batismo é morrer e ressuscitar com Cristo. O Sinal de Betânia é um convite a crer na Vida e a lutar por ela em todas as expressões.
O discípulo de Jesus, renascido à Vida no Batismo, traz em si o germe da verdadeira Vida.
O Prefácio resume tudo isso: Verdadeiro homem, Jesus chorou o amigo Lázaro; Deus e Senhor da Vida, o tirou do túmulo; hoje estende a toda a humanidade a sua misericórdia e com os seus sacramentos nos faz passar da morte à Vida.
A Quaresma retrata nossa iniciação batismal e nos convida a aprofundá-la como Encontro com Cristo, como Diálogo e Profissão de Fé, a exemplo da Samaritana, do Cego e de Marta.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano


Artigos Recentes