Orientações para as celebrações: Domingo de Ramos, Semana Santa e Páscoa

Estamos nos aproximando das celebrações eucarísticas do Domingo de Ramos, Semana Santa e Páscoa. Um momento importante para toda nossa Igreja, que neste momento devido ao Coronavírus e ao isolamento social, nos fez celebrar e refletir de uma forma diferente a PÁSCOA. Que possamos fervorosamente em nossas casas, acompanhar as celebrações que serão transmitidas ao vivo em nosso território diocesano, pela TV, e pelas rádios. Pois, em virtude do cuidado com os fiéis, presbíteros, ao bispo diocesano, seguem algumas orientações para bem celebrarmos esse tempo litúrgico, destacando que todas as celebrações serão sem a presença física do povo. Porém, nos unamos pelos meios de comunicação e acompanhemos as celebrações com o material disponibilizado para as famílias celebrarem em casa ATRAVÉS DO LINK abaixo: 

https://drive.google.com/file/d/1unCEAAbfpV91LezoHYWVkOj2wAKkUn47/view?usp=sharing

DOMINGO DE RAMOS
Como decretado pela Congregação para o culto divino e disciplina dos sacramentos, em texto publicado dia 25 de março, os padres não poderão abençoar ramos, nem realizar a procissão por ocasião do Domingo de Ramos deste ano, sendo faculdade apenas do bispo diocesano na Igreja Catedral.

  1. Nas paróquias os padres, por obediência, rezarão apenas a Missa do Domingo de Ramos da Paixão do Senhor. Nesta missa não se lê o Evangelho da entrada de Jesus em Jerusalém.
  2. Dom Antônio Emídio Vilar, sdb celebrará internamente a Missa na Igreja Catedral onde abençoará ramos, estes serão queimados e divididos em pequenas porções que serão destinadas posteriormente as nossas paróquias.
  3. Tais porções deverão ser acrescentadas a cinzas preparadas pelas paróquias por ocasião da quarta-feira de cinzas do próximo ano (17 de fevereiro de 2021). Tal gesto simbólico demostra a unidade da Igreja Diocesana e comunhão com o seu pastor.

DIAS FERIAIS DA SEMANA SANTA
Os padres, assim como nas últimas semanas, celebrem a Eucaristia das férias da Semana Santa em privado ou transmitindo a celebração pelas redes sociais.

QUINTA-FEIRA SANTA – MISSA CRISMAL
Dom Antônio Emídio Vilar, SBD presidirá de forma privada a Missa Crismal na Igreja Catedral pela manhã da Quinta-feira Santa, como prevista na agenda diocesana. Devida as atuais circunstancias estarão presentes na celebração apenas o Vigário Geral, os Vigários Episcopais, o Cura da Catedral e o Mestre de Cerimônias, se estes não estiverem impedidos de locomover-se. Os Santos Óleos preparados este ano serão distribuídos após a normalização das atividades e suspensão da quarentena.

QUINTA-FEIRA SANTA – MISSA DA CEIA DO SENHOR
Foi permitido pela Congregação do Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos que a celebração Eucarística da Missa da Ceia do Senhor aconteça sem a participação do povo. O lava-pés deverá ser omitido, e após a celebração o Santíssimo seja guardado no Sacrário.

SEXTA-FEIRA SANTA
A função litúrgica da Sexta-feira Santa aconteça como prevista pelo Missal:
Prostração, Liturgia da Palavra, Oração Universal, Adoração da Cruz, Rito da Comunhão. Todos os gestos aconteçam COMO se a celebração fosse pública. Para essa celebração basta que apenas um sacerdote realize as funções, de modo que onde ocorra o encontro de alguns padres para a celebração do Tríduo Pascal apenas um tome a presidência do rito.

SÁBADO SANTO
“Durante o Sábado Santo, a Igreja permanece junto do sepulcro do Senhor, meditando a sua paixão e morte, a sua descida aos infernos (1Pd 3,19), e esperando na oração e no jejum a sua ressurreição” (Paschalis Sollemnitatis, n. 73) Mais do que nunca iremos experimentar a dor da morte do Senhor neste Sábado Santo, que façamos deste sacrifício nossa oferta a Deus para que possamos ser autênticos ministros daquele que vence a Morte e sai vitorioso do combate da cruz, prefigurando aquilo que passamos por ocasião da presente pandemia.

DOMINGO DE PÁSCOA – VIGÍLIA PASCAL
A Vigília Pascal, tida como a Mãe de todas as Vigílias, não deixará de ser celebrada pelos presbíteros. Que possamos nutridos por essa celebração participar da Ressurreição de Cristo e reconhecera ação de Deus neste período de tristeza e desordem. A Vigília, simplificada por decreto da Santa Sé, deverá ser celebrada apenas nas Igrejas Paroquiais e na Catedral Diocesana, que essa celebração não aconteça em nenhuma outra capela.

DOMINGO DE PÁSCOA – MISSA DE PÁSCOA
O Domingo de Páscoa também será celebrado por todos os presbíteros em todo o território diocesano. A celebração ocorre também sem a participação do povo, seguindo as orientações já dadas pelo Departamento de Celebrações Litúrgicas Diocesanas.

OITAVA DA PÁSCOA
Dada a índole da festa Pascal e sua importância para nós cristãos, mesmo na atual situação de isolamento social esforcem-se os padres para celebrarem a Oitava da Páscoa, em suas igrejas ou casas paroquiais sem a participação do povo.