ANO A – II Domingo de Páscoa: A Comunidade

Na alegria da liturgia pascal, temos a nova comunidade, a Igreja, que nasce da Cruz e Ressurreição com a missão de revelar aos homens a Vida Nova que brota da Ressurreição.

Em At 2,42-47, a Comunidade cristã de Jerusalém é uma comunidade de irmãos, que perseveram na catequese, ensino dos apóstolos, caridade, partilha dos bens e liturgia, das celebrações no Templo e da Eucaristia nas casas, ou a fração do pão.

A comunidade que dá testemunho provoca admiração, simpatia do povo e atrai novos membros. A comunidade nos lembra que toda comunidade deve se inspirar na Igreja de Jerusalém e nas igrejas de todas as épocas: uma comunidade de irmãos, reunida ao redor de Cristo, animada pelo Espírito, com a missão de testemunhar a Salvação.

1Pd 1,3-9 começa com um pequeno hino que bendiz o Pai pela Ressurreição de Jesus. Deus nos fez renascer pela Ressurreição de Jesus Cristo, Ele fez renascer a esperança.

Com o Salmo, Porque eterna é a sua Misericórdia, celebramos o Domingo da Misericórdia.

Jo 20,19-31 nos mostra a Comunidade dos Apóstolos: Jesus Ressuscitado é o centro ao redor do qual a Comunidade vence o medo e a hostilidade do mundo. Os apóstolos, com a paixão e cruz de Jesus, estão apavorados, sem paz. No 1º dia da semana, Cristo lhes dá a Paz! Ele está presente, abre as portas, rompe as barreiras e infunde confiança. Ao lhes dar a Paz, sopra sobre eles, e os envia em missão: Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio! Recebam o Espírito Santo! O dom do Espírito é a força que terão na missão para serem sinal da Misericórdia Divina e Mensageiros da Paz. Para isso, Jesus dá o Sacramento do Perdão: Aqueles a quem perdoardes os pecados serão perdoados. Perdoados, eles são enviados a perdoar em nome de Deus. Ao confessar ao menos uma vez ao ano, pela Páscoa, temos o Perdão e a Paz, para sermos testemunhas de Cristo Ressuscitado.

A Tomé que quer ver para crer, Jesus pede Fé: Não sejas incrédulo, mas fiel! Felizes os que creem sem terem visto! Afastado da Comunidade, Tomé quer provas, segurança, quer ver para crer. Jesus aceita o desafio e mostra sua Divina Misericórdia.

Só voltando à Comunidade é que Tomé encontra o Cristo Ressuscitado e professa sua fé: Meu Senhor e meu Deus! É na comunidade que temos as provas de que Jesus está vivo. Fora da Comunidade não há saudação de Paz, nem a alegria da Páscoa do Senhor, nem o dom do Espírito Santo. É na Comunidade que se prova que Cristo Ressuscitado está no meio de nós!

E Cristo continua repetindo: Felizes os que acreditam mesmo sem terem visto!

O primeiro dia da Semana é o Domingo, é o dia da Comunidade, o dia da Missa, o dia do encontro com o amor fraterno, com o perdão dos irmãos, com a Palavra proclamada, com o Pão de Jesus partilhado. O Domingo é o Dia do Senhor, é o dia da Páscoa, o dia em que renovamos o nosso Batismo, a caminho da vida Plena.

A liturgia pascal renova nosso encontro com Cristo Ressuscitado.

A liturgia pascal nos chama a ser comunidade unida e perseverante no estudo da Palavra, na partilha dos bens e nas celebrações.

A liturgia pascal nos chama a renovar a alegria, a fraternidade, o perdão, a paz, que o Cristo ressuscitado veio trazer.

A liturgia pascal nos faz proclamar que Jesus é Nosso Senhor e Nosso Deus.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano