ANO A – PENTECOSTES: Vinde Espírito Santo

Em Pentecostes, cumpre-se a promessa de Jesus, do Dom do Espírito Santo. O Tempo Pascal se encerra e Cristo Ressuscitado continua presente na Missão da Igreja.

Em At 2,1-11, Lucas descreve os fatos de Jerusalém na festa judaica do Pentecostes, 50 dias após a Páscoa. O Espírito que age em Jesus e sua Missão é dado também para a Igreja. O Espírito Santo transforma os discípulos em apóstolos e une numa mesma comunidade de amor todos os povos, raças e culturas, que acolhem com fé, seu testemunho e pedem o Batismo.

Pentecostes era uma festa judaica que se celebrava 50 dias após a Páscoa. De festa agrícola que agradecia a colheita do trigo e oferecia as primícias, tornou-se festa da Lei de Deus, da Aliança, para celebrar a chegada do Povo de Israel ao Sinai, onde recebeu a Lei de Deus.

Lucas mostra que na festa da Lei de Moisés, Cristo nos dá a nova Lei: o Espírito Santo. Os fenômenos do Sinai se mostram: trovões, vento forte, chamas de fogo. As várias línguas indicam que a Igreja é para todos, sem barreiras de povos, raças ou nações. É o contrário da torre de Babel, onde as línguas confundiam e afastavam uns dos outros. Com o Espírito Santo, todos entendem a língua dos apóstolos, da Igreja, comunidade de irmãos reunidos em Cristo, animada pelo Espírito e que se torna testemunha da Salvação de Cristo na história.

A 1 Cor 12,3b-7.12-13 recorda a ação do Espírito Santo na Comunidade. Os dons do único Espírito não criam competição, mas promovem a unidade.

Jo 20,19-23 fala do dom do Espírito Santo na Galileia, no anoitecer do dia da Páscoa.

Anoitecer, portas fechadas e medo mostram uma comunidade insegura e desorientada. Mas Jesus aparece em seu meio, e os discípulos reencontram seu rumo e recuperam sua identidade. Jesus lhes deseja Paz, Shalon, isto é: serenidade, confiança, tranquilidade, para superarem o medo e a insegurança. Depois, Jesus mostra-lhes as mãos e o lado. São os sinais da entrega amorosa e total de Jesus na Cruz. Então, sopra sobre eles, e lhes comunica o Espírito. O sopro de Deus na criação deu vida ao homem de barro. Com o sopro de Jesus, nasce o Homem Novo. E Jesus comunica a sua Missão aos discípulos: Como o Pai me enviou, eu também vos envio!

O Espírito de Jesus continua assistindo a Missão da Igreja. Pentecostes continua hoje. O nosso Pentecostes começa no Batismo, com a Vida Nova em Cristo; confirma-se na Crisma, com o dom do Espírito Santo, nossa força para ser os mensageiros da paz e da reconciliação.

O Espírito Santo é a alma da Igreja. Ele a faz nascer e a renova sempre com seus dons e carismas. Com o Dom do Espírito Santo, Jesus nos envia em Missão:

Como o Pai me enviou, eu também vos envio! Recebam o Espírito Santo!

A linguagem do Amor que o Espírito infunde em nós, nos une na mesma fé, que nos dá o conhecimento da divindade a todas as nações e reúne a variedade das línguas na confissão da mesma fé, como diz o prefácio de Pentecostes.

O mesmo Espírito Santo está presente hoje em nós e em nossas comunidades.

Que Ele ilumine nossos passos, nosso agir e nossas escolhas.

Que Ele nos dê coragem e alegria para sermos autênticos discípulos missionários de Cristo.

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano