XIIº DOMINGO DO TEMPO COMUM: O Medo – ANO A

Deus chama e envia pessoas para realizar seu Plano de Salvação. A Missão desafia e dá medo. Diante disso, a Palavra mostra aos discípulos o amor de Deus que não os abandona.

Jeremias 20, 10-13 mostra o drama vivido pelo profeta: perseguição, solidão e abandono. Mas ele põe sua confiança em Deus. Diante do medo que sente: Vê, Senhor, que eu não sei falar, sou ainda menino. O Senhor lhe diz: Para onde eu te enviar, irás; e o que eu te mandar, falarás: não tenhas medo, pois eu estarei contigo para te livrar. Jeremias acolhe a ordem do Senhor, vai a Jerusalém e profere um discurso violento no templo: acusa as autoridades, desmascara suas trapaças e prediz a destruição do templo de Jerusalém. A reação foi imediata: foi preso e isolado numa masmorra. Tido como Profeta da desgraça, sentiu-se repudiado pelo povo e abandonado pela família. No livro das Lamentações, Jeremias desabafa e expõe a sua amargura. Mesmo assim, confia em Deus, no seu poder e justiça, em seu amor que prega com coerência e fidelidade. Ele sabe que Deus nunca abandona quem procura testemunhá-Lo com coragem e verdade.

Na carta aos Romanos 5, 12-15, São Paulo afirma que para a salvação o essencial não é cumprir a Lei de Moisés, mas acolher a Salvação que Deus oferece a todos, em Jesus.

Em Mateus 10, 26-33, no Sermão apostólico, Jesus instrui os apóstolos, os envia em Missão e repete três vezes: Não tenhais medo! E cita três medos: 1. Medo do fracasso. Jesus garante: Apesar das provocações e dificuldades, a sua mensagem se difundirá e transformará o mundo. 2. Medo da morte: Jesus afirma que maus tratos ou morte física não é tudo, mas sim perder a vida eterna. 3. Medo pela sobrevivência: diante da perseguição, Jesus convida à confiança na Providência de Deus. E Jesus fala dos cuidados de Deus em duas imagens: 1) Os pássaros de que Deus cuida, e 2) Os cabelos que conta. Se Deus cuida assim dos pássaros, Ele cuidará ainda mais dos discípulos do seu Filho. Não tenhais medo dos homens, tende confiança em Deus!

O Medo continua hoje. Por medo, a pessoa se fecha em seu mundinho, e se isola. Por medo, levanta muros de proteção mais altos, fecha-se em condomínios mais seguros. Mas, isso não resolve o problema. Outros medos surgem hoje: de pandemia, de doença, de desemprego, de abandono, de insucesso, de crítica, de desprezo… Por medo, muitos deixam de anunciar as maravilhas do Reino e de Professar a Fé.

Por medo e vergonha se deixa o testemunho cristão, mas se adota facilmente os critérios da moda sobre amor e sexo, família e casamento, matrimônio e divórcio, vida e aborto, educação e liberdade, dinheiro e direitos humanos. Chega-se a taxar de antiquados os princípios da moral cristã, e fica confuso e desorientado, para remar contra a maré. A quem se cala e se omite, Jesus diz: Quem me negar diante dos homens, também eu o negarei diante do meu Pai, que está nos céus.

A Palavra de Deus nos convida a descobrir Deus e seu coração cheio de ternura, bondade e solicitude. Convida-nos a confiar em Deus e nos jogarmos em seus braços de Pai que nos ampara, e nos sentirmos no aconchego de seu colo de Mãe que nos afaga.

Se o caminho é difícil e nos traz desafios, Jesus nos garante: Não tenhais medo, eu venci o mundo! Com Ele, nós sempre venceremos!

Dom Antonio Emidio Vilar, sdb
Bispo Diocesano


Artigos Recentes