CRISTO VIVE

“CRISTO VIVE: é Ele a nossa esperança e a mais bela juventude deste mundo! Tudo o que toca torna-se jovem, fica novo, enche-se de vida. Por isso as primeiras palavras, que quero dirigir a cada jovem cristão, são estas: Ele vive e quer-te vivo!” Com estas palavras, o Papa Francisco começa a sua Exortação Apostólica Pós-Sinodal “Christus Vivit”, dirigida aos jovens e a todo o povo de Deus! Após o Sínodo da Juventude, concluído em outubro de 2018, foi publicado o documento final com as reflexões e perspectivas da Igreja relativas à juventude. A partir deste acontecimento, o Papa Francisco decidiu escrever uma exortação apostólica, com o seu parecer das propostas mais significativas do documento final.

Desde o início do seu pontificado, o Papa Francisco já havia reafirmado Jesus não só como modelo de juventude, mas também como aquele que nos renova forças e direção. Ele dizia poucos dias depois de sua eleição, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude – Domingo de Ramos de 2013: “Jovens! Vós tendes uma parte importante na festa da fé! Vós nos trazeis a alegria da fé e nos dizeis que devemos vivê-la com um coração jovem sempre: um coração jovem, mesmo aos setenta, oitenta anos! Coração jovem! Com Cristo o coração não envelhece nunca!” (Papa Francisco).

Esta visão da força de Cristo que rejuvenesce nosso interior está expressa em vários momentos do seu pontificado, e tem seu ápice nesta exortação apostólica, onde o Papa nos instiga a olhar para a tristeza, o rancor, o medo e o fracasso, como sentimentos e circunstâncias que nos envelhecem a alma, e mirar a Cristo para recuperarmos a força, o vigor e a esperança próprios da juventude. A juventude em nosso interior está diretamente ligada ao nosso relacionamento com Cristo como Senhor que Vive e dá a vida… Acreditar que “tudo o que Jesus toca, torna-se jovem”, nos dá uma nova esperança diante de inúmeros motivos que temos de desânimo no mundo de hoje, cheio de violência e desespero.

Compreender e tomar posse da certeza de Jesus vivo entre nós, já é consolador e apaziguador da nossa alma…, mas ter a convicção de que Ele nos quer vivos é questionador: Já não estamos vivos? Talvez estejamos vivendo por viver, estagnados e sem esperança…, e isso, com certeza, não é vida de fato! Se fomos chamados a uma vida plena e estamos vivendo de migalhas nas relações, na vida de fé, ou no sentido do viver, estamos de fato, vivendo?

“Ele vive e quer-te vivo!” – nos diz Papa Francisco! Quanta força há nestas palavras! Só quem sentiu-se vivificado por Cristo é capaz de proclamá-las com convicção e fé! Ao ler as palavras iniciais desta exortação, fico imaginando o olhar carinhoso do Papa Francisco, como um homem de fé, experiência, e um profundo amor à Igreja e aos jovens, que anseia que todos reconheçam Cristo Vivo e presente, atuante na nossa vida pela sua graça e desejoso em atuar no mundo, também através de nós! Para isso, encoraja os jovens “a crescer na santidade e no compromisso em prol da própria vocação”! (Christus Vivit, 3).

Que tipo de vida queremos? Talvez seja esta a pergunta a se fazer a partir desta exortação do papa Francisco. Ele já nos adiantou que Cristo vive e nos quer vivos de verdade, com vida plena e alma completa! Se pensarmos bem, talvez a pergunta que nos daria a melhor resposta seria: Que vida o Senhor quer para nós?


Pe. Reginaldo Carreira


Artigos Recentes