PROTOCOLO SOBRE O RETORNO DAS CELEBRAÇÕES PÚBLICAS E ATIVIDADES PASTORAIS COM RESTRIÇÕES SANITÁRIAS

Este protocolo tem por objetivo orientar os párocos nas medidas necessárias para o retorno gradual das celebrações eucarísticas públicas, dos outros sacramentos e das atividade pastorais na Diocese de São João da Boa Vista. Essas medidas seguem as normas sanitárias para a prevenção da covid-19. O texto do presente protocolo é um complemento e ao mesmo tempo um avançar de fase em relação ao Protocolo que nossa Diocese emitiu no último dia 02 de junho.

Caso acontecer algo em nossa região que seja agravante em relação a pandemia, essas orientações aqui contidas ficam em “suspenso”, voltando-se assim, seguir o primeiro protocolo na íntegra, ou até mesmo mantendo o culto fechado apenas com transmissão on-line. Para se chegar a tal resolução é muito importante que cada caso seja dialogado com a Coordenação Diocesana de Pastoral e consequentemente esta em comum acordo com o Bispo Diocesano.
Ainda, faz-se importante saber que os assuntos que não estão contemplados nesse protocolo sejam levados em conta de acordo com o primeiro protocolo. Esse protocolo não é o último, na fase verde ainda será lançado um terceiro texto contemplando os conteúdos que não estão presentes neste texto e nem no anterior.

Sobre o número de pessoas nas celebrações eucarísticas:

  1. Mantém-se a mesma disposição do protocolo anterior: Dentro do local da celebração deve ser respeitada a distância de segurança mínima de 1,5 metro frontal e lateral entre cada fiel. Não se separam as famílias ou os que vivem na mesma casa. Nos templos onde for possível manter todas essas disposições sanitárias pode-se aumentar a participação de 30% para 50 % da capacidade de fiéis no templo, onde isso não é possível o espaço pode ser otimizado incentivando os membros da mesma família ocuparem o mesmo banco.
  2. As missas podem voltar a serem celebradas nas capelas das comunidades e nas que possuem o tabernáculo que seja reposta a reserva eucarística.
  3. Pode-se fazer a procissão de entrada desde que todos estejam de máscara.
  4. Os vidros e as portas estando abertas pode-se ligar os ventiladores e climatizadores, porém evite-se o ar condicionado.

Reuniões das pastorais e movimentos

  1. Está permitido o retorno das reuniões de pastorais e movimento (RCC, grupos de oração, grupos de jovens, celebrações da Palavra do Caminho Neocatecumenal, etc…) devem acontecer na Igreja ou em sala grande e arejada (quando isso não é possível pode ser em espaços ao ar livre), respeitando a distância de 1,5 m de distância, o uso de álcool em gel e máscara.
  2. O tempo do encontro não exceda uma hora. Os párocos ajudem os fiés com orientações de como abreviar os encontros.
  3. Os encontros que são marcados por momentos de animação e canções, evitem o contato físico, apertos de mão, saudações, etc…
  4. Os encontros diocesanos e encontros com grande número de fiéis permanecem suspensos.
  5. Não está autorizado encontros com crianças (coroinhas, infância missionária, grupos de adolescentes, etc…).
  6. Não está autorizado encontros nas casas (novenas, terços, missas), isso é quando reúnem pessoas que moram em casas diferentes, obviamente isso não se aplica a pessoas da mesma família que se reúnem para momentos de oração.

Sobre coroinhas nas missas e o serviço da credência

  1. Fica autorizado o auxílio de no máximo 4 coroinhas/acólitos por celebração, esses devem ter mais de 12 anos, devem usar máscara o tempo todo e antes de servir a credência devem higienizar as mãos. É muito importante que os pais dos coroinhas/ acólitos autorizem que esses sirvam a liturgia.
  2. Nas paróquias onde não tem coroinhas ou esses não estão seguros para o retorno pode-se servir do auxílio dos Ministros extraordinários da Sagrada Comunhão, seguindo as mesmas regras do nº 3a.

Sobre os ministros da Palavra
Autoriza-se que mais de um leitor faça a Primeira leitura, Segunda leitura e as preces, contudo, sempre higienizando as mãos e fazendo as leituras de máscara. Quando possível use-se revestimento de tecido ou de espuma no bocal do microfone (esses devem ser trocados a cada nova pessoa que for usá-lo). Incentivamos ainda que na equipe de liturgia quando possível, ao máximo, participem pessoas que moram na mesma casa, ou que tenham contato direto.

Sobre o canto litúrgico

  1. Incentivamos que ao menos nas Missas Dominicais o Salmo Responsorial seja cantado (nesse período de pandemia o salmista pode fazê-lo do lugar onde fica o ministério de música, e não do Ambão).
  2. Pode-se cantar as partes fixas da missa (ato penitencial, glória, santo e cordeiro).
  3. Pode-se voltar as equipes de canto, com distanciamento e máscara.

Sobre o Batismo e o Matrimônio

  1. A celebração do Batismo e número de batizados fica condicionado ao tamanho da Igreja seguindo as regras para as unções do primeiro protocolo e as mesma regras sanitárias da celebração da Missa.
  2. Pode-se retornar a preparação para o Batismo desde que não exceda a uma hora, seguindo todas as normas sanitárias. Essa opção é facultada ao pároco, podendo ser omitida a preparação quando este julgar necessário.
  3. Para o Matrimônio permaneçam as regras do primeiro protocolo.
  4. A preparação para Matrimônio fica suspensa. Orientamos os padres a aproveitarem bem do momento da entrevista para catequizar os noivos, como já foi orientado na Carta pastoral “A celebração da alegria do amor matrimônial”.

Atendimento paroquial, unção dos enfermos, comunhão aos doentes de funerais.

  1. Estimulamos vivamente que os padres atendam confissões e orientações espirituais, respeitando a distância sanitária, usando máscaras e por agendamento.
  2. Conforme orientação da Penitenciária Apostólica assinada por Sua Eminência o Cardeal Mauro Piacenza, não está autorizada a Absolvição geral, a não ser nos casos previstos pelo CIC.
  3. A unção dos enfermos seja administrada nas casas ou nos hospitais (quando esses autorizam) em caso de necessidade, evitando-se visitas a vários enfermos no mesmo dia (mutirão de unção).
  4. A comunhão dos enfermos nas casas está autorizada somente na forma de viático pelo sacerdote ou diácono. Não está autorizado que os MESC levem comunhão aos enfermos nas casas.
  5. Na celebração dos funerais nas salas de velório, o padre garanta que estejam na sala somente o número máximo de pessoas indicadas pelas autoridades sanitárias do município, respeitando-se sempre a distância recomendada, ainda que o funeral seja no cemitério.

Novenas do padroeiro e procissão

  1. Ficam autorizadas as novenas ou tríduos dos padroeiros paroquiais ou de capelas, seguindo as normas sanitárias.
  2. Não estão autorizadas as procissões, orientamos que essas sejam substituídas por carreatas, onde seja levada as imagens da Virgem Maria e dos Santos, mas nunca o Santíssimo Sacramento.

Catequese paroquial, Primeira Comunhão e Crisma

  1. Estimula-se que os (as) catequistas mantenham vínculos com os catequizandos por meio de mensagens, telefonemas, vídeos chamadas. Que sejam momentos de espiritualidade e de valorização da dimensão religiosa. Contudo, essas atividades não substituem a catequese presencial.
  2. Não está autorizado o retorno da catequese com crianças, para isso será emanada outra orientação no tempo oportuno.
  3. Caso alguma paróquia já possuía turmas com a catequese para a Primeira Comunhão concluída (todos o temas catequéticos celebrados) antes do inicio da pandemia e essas turmas ficaram sem receber o Sacramento, os padres podem celebrar a Primeira Comunhão com grupos pequenos (uma ou duas turmas por vez) respeitando todas as normas sanitárias. Nesse caso a Eucaristia é dada somente na espécie do pão e na mão.
  4. Se existirem turmas de Crisma em situação igual do nº 9c os párocos podem fazer contato com o Bispo para agendamento do sacramento ou em casos de muitas turmas para solicitar dele a delegação.
  5. Trantando-se da Catequese com jovens e adultos essa está autorizada a retornar desde que sejam respeitadas as orientações sanitárias e os encontros não excedam uma hora de duração.

Sobre o preceito dominical

  1. Com a publicação deste segundo protocolo, encerra-se a faculdade que o Bispo Diocesano concedeu de celebrar o preceito dominical nas Missas feriais.
  2. Para as pessoas do grupo de risco, recomendamos que acompanhem as Celebrações pelo meios de comunicação. Retornando a forma presencial quando sentirem-se seguros.

 

Rogamos a intercessão da Bem-aventurada Virgem Maria, de São João Batista e do Bem- aventurado Donizetti, para que muitas bençãos sejam derramadas sobre nossa Diocese.
Dado e passado na Cúria Diocesana, São João da Boa Vista, 01 de de setembro de 2020

 

 

Dom Antonio Emídio Vilar, SDB
Bispo Diocesano
Pe. Ramiro Marinelli Duarte
Vigário Episcopal e responsável do Protocolo de retorno das celebrações
Pe. Luis Fernando da Silva
Coordenador Diocesano de Pastoral


Artigos Recentes