ESCOLA DIACONAL REALIZOU FORMAÇÃO SOBRE PASTORAIS SOCIAIS

No sábado, 23 de setembro, a Escola Diaconal Dom Tomás Vaquero de nossa Diocese, reuniu seus aspirantes e diáconos para uma formação sobre as Pastorais Sociais, fundamento de uma das diaconias que é a caridade.

O convidado foi o Frei Olavo Dotto, OFM. Frei Dotto é assessor da CNBB na Comissão para a Ação Social Transformadora, comissão que engloba todos os movimentos e pastorais sociais do Brasil.

Frei Dotto iniciou sua apresentação com uma linha histórica da pastoral social no Brasil, surgido na década de 1930 com o então Cardeal Sebastião Leme, filho de nossa Diocese, quando fundou no Brasil a Ação Católica, passando pela figura icônica de Dom Helder Câmara, um dos maiores incentivadores e animadores da Ação Social no Brasil.

Destacou também a importância e o novo ardor para a ação social na America Latina com o advento dos Documentos das conferencias de Puebla e Santo Domingos.

Depois, apresentou-nos as inúmeras pastorais e movimentos sociais do Brasil, estimando que cerca de 40 milhões de pessoas são assistidas pela ação social da Igreja no Brasil, em seus múltiplos modos de agir. Explicou que a ação social e a opção preferencial pelos pobres nasce do amor de Cristo e por ele o amor ao próximo, na linha daquilo que nos apresentou Papa Bento XVI em sua exortação “Deus Caritas Est”, Deus é amor e esse amor irradia e não se contenta em encontrar realidades onde a dignidade humana é ferida desde a concepção até a morte natural, passando pelas relações de trabalho e vivência sociais diversas.

Frei Dotto chamou-nos a trabalhar para que as Pastorais sociais estejam sempre em comunhão com a Igreja e não caminhem paralelamente, ainda que tenham que dialogar com movimentos sociais, partidários e sindicais. A ação social da Igreja tem Cristo como mestre e senhor. A ação social é então reflexo da fé em Cristo ressuscitado, que deseja que todos tenham vida em abundância e não adere a nenhuma ideologia.

Por fim, disse que devemos nos esforçar para nos formamos na Doutrina Social da Igreja, que é a linha mestra do trabalho social da Igreja.