O Maior Mandamento

O Amor é o maior Mandamento e o distintivo do cristão, chamado a vivê-Lo e anunciá-Lo. Amar é cuidar dos mais pobres: viúvas, órfãos, estrangeiros, endividados. Se o Amor ao próximo da Antiga Aliança era respeito à lei de Deus e reflexo do seu Amor, Jesus, Amor encarnado e Mestre do Amor, vem aperfeiçoar esse Amor, como lemos no Antigo Testamento: “Não maltratarás o estrangeiro e não o oprimirás, porque foste estrangeiro no Egito. Não prejudicareis a viúva e o órfão. Se os prejudicardes, eles clamarão a mim e eu os ouvirei; minha cólera se inflamará e vos farei perecer pela espada; vossas mulheres ficarão viúvas e vossos filhos, órfãos. Se emprestares dinheiro a alguém do meu povo, ao pobre que está contigo, não lhe serás como um credor: não lhe exigirás juros. Se tomares como penhor o manto de teu próximo, tu o devolverás a ele antes do pôr do sol, porque é a sua única cober¬tura, é a veste com que cobre sua nudez; com que dormirá ele? Se me invocasse, eu o ouviria, porque sou misericordioso.” (Ex 22,20-26).

Na Primeira Carta aos Tessalonicenses, Paulo destaca o exemplo dos cristãos de Tessalônica, cujo Amor vivido tornou-se semente que deu frutos em outras comunidades: “Sabeis o que temos sido entre vós para a vossa salvação. E vós vos fizestes imitadores nossos e do Senhor, ao receberdes a palavra, apesar das muitas tribulações, com a alegria do Espírito Santo, de sorte que vos tor¬nastes modelo para todos os fiéis da Macedônia e da Acaia. Em verdade, partindo de vós, não só ressoou a palavra do Senhor pela Macedônia e Acaia, mas também se propagou a fama de vossa fé em Deus por toda parte, de maneira que não temos necessidade de dizer coisa alguma. De fato, a nosso respeito, conta-se por toda parte qual foi o acolhimento que da vossa parte tivemos, e como abandonastes os ídolos e vos convertestes a Deus, para servirdes ao Deus vivo e verdadeiro, e aguardardes dos céus seu Filho que Deus ressuscitou dos mortos, Jesus, que nos livra da ira iminente;” (1Ts 5c-10).

Jesus resume toda a Lei no Amor: Amor a Deus e aos irmãos. Os chefes judeus fazem armadilha a Jesus a fim de acusá-lo e condená-lo. E perguntam: Qual é o maior dos mandamentos? “Sabendo os fariseus que Jesus reduzira ao silêncio os saduceus, reuniram-se e um deles, doutor da Lei, fez-lhe esta pergunta para pô-lo à prova: ‘Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?’. Respondeu Jesus: ‘Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu o coração, de toda a tua alma e de todo o teu espírito (Dt 6,5). Esse é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás teu próximo como a ti mesmo’ (Lv 19,18). Nesses dois mandamentos se resumem toda a Lei e os Profetas.’” (Mt 22,34-40). Esta polêmica já havia entre eles: diziam alguns que o maior mandamento era guardar o sábado; outros, que todos os mandamentos tinham o mesmo valor. Havia 613 mandamentos, preceitos e prescrições, a maioria proibições. Era difícil lembrar e cumprir tantas leis. Hoje há quem nem se lembra dos 10 mandamentos. Jesus simplifica e usa o Deuteronômio: Amarás o Senhor teu Deus com todas as forças (Dt.6,5), e o Levítico: Amarás teu próximo como a ti mesmo. (Lv.19,18) Eram dois mandamentos conhecidos, mas a novidade de Jesus é que o Amor a Deus e ao irmão é o centro da Lei; E que, os dois mandamentos, unem-se e se igualam. Não são diversos, mas duas faces da mesma moeda. Para Jesus, amor a Deus e ao Próximo têm igual valor e dão origem aos outros mandamentos. A Lei e os Profetas só os comentam. O amor a Deus é fonte de serviço ao próximo. O amor ao próximo expressa nosso amor a Deus. Eles resumem toda a Bíblia e revelam a vontade de Deus para nós.

Quando o cristianismo perde a noção do essencial, quando perde o foco, e se contenta em discutir coisas secundárias, também passa a criar preceitos e mandamentos, proibições e opiniões. O essencial é o amor a Deus e aos irmãos, pois Deus é Amor e nos ama. Deus Amor nos criou no Amor e para o Amor. A Palavra de Deus nos convida a Amar. A nós cabe acolher a Palavra para compreender e viver, anunciar e testemunhar este Amor. Na escuta de Deus, podemos refletir, interiorizar sua Palavra e interpretar os sinais que Ele nos dá. É feliz quem ouve a Palavra de Deus e a vive cada dia. É feliz quem ama a Deus e expressa esta alegria do Amor aos Irmãos.

Este Amor nós o vivemos na atenção às pessoas no dia a dia, solidários em suas alegrias e tristezas, esperanças e angústias, fazendo da vida um dom total a todos. O mundo precisa redescobrir o Amor em nós cristãos, como os pagãos testemunhavam dos primeiros cristãos, dizendo: “Vejam como eles se amam!” Cada celebração, alimenta o Amor de Deus em nós para levá-lo aos irmãos. Como assembleia convocada pelo Amor do Pai, e reunida em Cristo, que possamos receber o Espírito de Amor e comunicá-Lo a todos os que se aproximam de nós!


Dom Antonio Emidio Vilar, SDB


Artigos Recentes