JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO

 

A Solenidade de Cristo Rei encerra o Ano Litúrgico em que a Igreja celebra os mistérios da fé. Cristo Rei é o centro da Fé e da Vida do cristão. Por isso, hoje é dia dos Leigos e Leigas, discípulos de Cristo Rei e Senhor, sujeitos na Igreja e na Sociedade, sal da terra e luz do mundo, chamados a construir na história o Reino de Deus que terá a sua plenitude no mundo que há de vir.

No Evangelho desse final de semana (cf. Mt.25,31-46), temos a parábola do Filho do Homem, Rei Juiz, sentado em seu trono, a separar as pessoas como o Pastor separa as ovelhas dos cabritos, os justos dos injustos. Ele não julga, nem condena. Quem julga e condena é cada um, pelas obras de Misericórdia que realizou ou não. Este julgamento não acontece só no fim dos tempos, mas já começa agora. Às vezes somos ovelhas, às vezes cabritos. Cabe a nós empenhar-se para ser ovelhas. Jesus, quando O querem proclamar Rei, nos momentos de glória, ele não aceita: quando na Sinagoga, fala com brilho; no Jordão, revela o Deus Trino; no Tabor, mostra sua glória; nos grandes milagres, multiplica os pães. Ele evita o sentido político de “Rei” para si. Jesus só aceita o título diante de Pilatos: “Sim sou Rei, e para isso vim ao mundo, mas o meu Reino não é daqui”. No Calvário, a Cruz é o seu trono, diante do povo hostil que o desafia: “Se és Rei, salva-te a ti mesmo e desce da cruz.” Ao Bom Ladrão que reconhece sua realeza e implora salvação, “Lembra-te de mim quando estiveres em teu Reino”, Jesus garante: “Ainda hoje estarás comigo”.
O Prefácio de hoje define seu Reino: Reino da Verdade e da Vida, da Santidade e da Graça, da Justiça, do Amor e da Paz. Esse é o Reino de Cristo. Jesus semeou sua semente para que nós a cultivemos com o amor. Este Reino já está no meio de nós, mas se completará no mundo que há de vir. Jesus nos convida a viver o Reino e a trabalhar para que Ele chegue a todos os corações, como rezamos no Pai Nosso: Venha a nós o vosso Reino!
Neste dia, os leigos e leigas renovam sua vocação de construir o Reino de Deus em meio ao mundo como sal da terra, luz do mundo e fermento na massa (Mt 5,13-14) e renovam o seu jeito de ser Igreja, Povo de Deus. Essa solenidade nos convida a:
1) Celebrar a presença e a organização dos cristãos leigos e leigas;
2) Aprofundar a sua identidade, vocação, espiritualidade e missão;
3) Testemunhar Jesus Cristo e seu Reino na sociedade.

Rezamos para que todos os cristãos leigos e leigas vivam a sua vocação batismal no meio do mundo, e se empenhem no anúncio do Reino definitivo e na construção de uma sociedade sempre mais justa e fraterna. Rezamos para que a sua presença e atuação de cristãos leigos e leigas seja de verdadeiros sujeitos eclesiais na Igreja e na Sociedade.


Dom Antonio Emidio Vilar, SDB


Artigos Recentes