DIRETRIZES DA AÇÃO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIL (2019- 2023)

A missão da Igreja é evangelizar. Evangelizar é oferecer ao mundo o próprio Jesus. A ação evangelizadora da Igreja não é uma experiência que nasce do vácuo ou de uma criatividade obsoleta. Ela nasce do encontro pessoal com Jesus de Nazaré, ele é o evangelho e ao mesmo tempo o evangelizador por excelência.

O evangelho chega até nós por meio da Igreja, a fé cristã é individual no sentido da adesão de cada pessoa, porém não é uma experiência que se faz sozinho, isolado. A fé cristã é vivida no seio de uma comunidade esse é o ambiente favorável para a maturação do cristão.

A Igreja no Brasil por meio de sua Conferência episcopal (CNBB), tem feito um caminho muito interessante para propor as nossas comunidades a vivência do evangelho, esse caminho passa por um olhar profundo para a Igreja primitiva como que uma tentativa de responder: como os cristãos dos primeiros anos da Igreja vivia a fé?

Quando o episcopado se propõe a responder essa indagação, vai por consequência redescobrindo o essencial da vivência da fé em comunidade, esse essencial era como que colunas que sustentavam a vida comunitária, se é assim, o que eram as colunas daqueles tempos devem hoje ser as colunas dos nossos tempos.

A descoberta primeira é fazer memória da Igreja como Casa, as primeiras comunidades cristãs se reuniam na casa, a casa era o espaço da comunidade. Hoje dois milênios depois, mesmo que nos reunamos em templos, não podemos perder o espirito de familiaridade, de uma Igreja que é casa e escola de comunhão, lugar para todos se achegarem e se sentirem amados, incluídos, escutados e acompanhados.

O objetivo geral da Ação evangelizadora desse quadriênio é: anunciar a alegria do Evangelho, no Brasil cada vez mais urbano, e formar discípulos, em comunidades de fé, para sair em missão rumo às periferias existenciais, em solidariedade com os pobres, sofridos e abandonados, no cuidado da Casa Comum, testemunhando o Reino de Deus, até à plenitude.

Especialmente diante da cultura urbana, cada vez mais abrangente, as novas diretrizes estão estruturadas a partir da imagem da comunidade cristã como “casa”, “construção de Deus” (1Cor 3,9). No centro, como eixo, está a Comunidade Eclesial Missionária, sustentada por “quatro pilares”: Palavra, Pão, Caridade e Missão. Em cada um deles, as antigas urgências são reagrupadas e permanecem mostrando sua atualidade:

  • Pilar 1: Palavra – Iniciação à Vida Cristã e Animação Bíblica; 
  • Pilar 2: Pão – Liturgia e espiritualidade;
  • Pilar 3: Caridade – Serviço à vida plena;
  • Pilar 4: Missão – estado permanente.

Estas Diretrizes foram elaboradas para ajudar a Igreja no Brasil a responder, durante os próximos quatro anos, aos desafios evangelizadores num mundo e num país cada vez mais urbanos. São desafios humanos e religiosos, sociais e políticos, culturais e ambientais que atingem a todos, em todas as partes, indistintamente. Como resposta inculturada a esses desafios, as Diretrizes destacam de modo central a importância das comunidades missionárias, com a imagem da casa, sustentada sobre pilares.

A Igreja no Brasil, em sua ação evangelizadora, assume o compromisso de formar comunidades que vivam como Casa da Palavra, do Pão, da Caridade e da Missão. Nelas, as pessoas, movidas pelo Amor da Trindade Santa, vivenciam e testemunham a comunhão fraterna, como em família, entre amigos, irmãos na fé, companheiros de jornada nas estradas da vida, peregrinando rumo à Pátria Definitiva. Como casa, as comunidades que queremos, são: espaço do encontro e da ternura, são o lugar da família e têm suas portas abertas.


Pe. Luis Fernando da Silva
Coordenador Diocesano de Pastoral


Artigos Recentes