OLHOU-O COM MISERICÓRDIA E O ESCOLHEU

Saúdo e agradeço em nome dos meus irmãos, agora candidatos ao diaconato permanente, o senhor bispo Dom Vilar, nosso pai e pastor, o bispo Emérito Dom David, nosso diretor Padre Richard, guia e mestre, ao Diácono Beto vice-diretor e secretário da escola, ao Diácono Eurico representante diocesano do diaconato permanente, os demais padres formadores, nossos párocos, os diáconos nossos irmãos mais velhos, aos padres Flávio e João Paulo por nos acolher no seminário, ao padre Célio por ceder a casa de encontros, as queridas Irmãs Olívia e Hilda rosto e amor materno durante os encontros, ao casal Teresinha e Paulo que com carinho e bom tempero preparam para nós o alimento do corpo. A todos que colaboraram na realização desta celebração, o grupo de canto, seminaristas e padre Mil por nos receber na Catedral. Por fim, as nossas esposas e famílias, incentivadores de nossa vocação e nosso primeiro lugar de missão, e todo o povo de Deus, a grande riqueza da Igreja!
Miserando atque eligendo. Olhou-o com misericórdia e o escolheu. Este é o lema do Pontificado do Papa Francisco e penso ser este o resumo desta noite.
Nesta noite, a Santa mãe Igreja na pessoa de seus representantes, julgou-nos dignos de poder vir a receber o primeiro grau do sacramento da ordem e julgo que seguindo o exemplo do Divino Mestre, escolheu aqueles que ninguém escolheria. E é por essa misericórdia que quis nos dar essa Graça, dom sem limite e digo que é Graça e dom, porque não merecemos, e se ele nos escolheu foi porque, assim como escolheu aos apóstolos enxergou em nós algo, que nem mesmo nós, ainda enxergamos.
Neste ano repleto de dificuldades e desafios, assim como na Galiléia, escolheu homens simples, pobres, falhos, mas inundados da força do Espirito Santo, com desejo de cooperar com a Igreja, com nossas comunidades e com nossos irmãos. Que essa eleição seja para nós um chamado a imitar as virtudes do Cristo Servo e nos configurar a ele, sem buscar privilégios ou elevação, mas ser para os irmãos os primeiros que estão a serviço, na missão de uma Igreja em saída que alcança a todos, principalmente os mais pobres.
Que este chamado amadureça e seja para nossa santificação. Como sempre digo, em nossa diocese já temos encaminhado aos altares o Servo de Deus Dom Tomás Vaquero um bispo, o Bem Aventurado Donizetti e o Servo de Deus Matheus ambos padres, o Servo de Deus Irmão Roberto um religioso, a Serva de Deus Lourdinha Fontão uma leiga. A vaga de Diácono está aberta aguardando candidatos,fixemos o olhar em Deus. Ainda temos um longo caminho pela frente, muitas dificuldades e provações virão, mas manteremos o olhar fixo em Jesus e passaremos por todas as provas.
Neste tempo de convivência desenvolvemos nossa capacidade intelectual, espiritual, humano-afetiva, comunitária e pastoral. E criamos uma comunidade de irmãos, onde as dores e alegrias são compartilhadas e o peso de nossos fardos são divididos e se tornam mais leves. Não poderia deixar de fazer memória a tantos irmãos e irmãs que neste ano nos deixaram, esposas, avós, pais e tantos irmãos que partiram ao encontro de Nosso Senhor deixando para nós a saudade da partida inesperada. Dentre estes de feliz memória, lembro o Diácono Benedito vice-diretor de nossa escola, nosso incentivador, irmão mais velho, sempre atencioso, compassivo e acolhedor. Ressoa em meu coração suas palavras tantas e tantas vezes repetidas àqueles que sofriam a dor do luto: – Saudade sim, tristeza nunca! Que ele e Dom Tomás que dá nome à nossa escola, intercedam por nossas vocações junto a Deus.
Que desde hoje na tríplice diaconia, a Caridade seja nossa alma, a Palavra nossa mente e a Liturgia nosso coração. Que a Virgem Maria, mãe de todas as vocações nos ajude a chegar ao fim dessa jornada. Uma feliz noite e um Feliz e Santo Natal a todos aqui presentes e aos que nos acompanham pelas redes sociais.


Mensagem de Rodrigo José de Souza Campos, candidato ao diaconato permanente (Paróquia São Judas Tadeu / Mogi Guaçu-SP) ao final da missa de Admissão às Ordens Sacras, celebrada na Catedral São João Batista, no dia 18 de dezembro.


Artigos Recentes