FOLIA DE REIS: mais do que folclore, uma manifestação da religiosidade popular

Após o Natal, por diversas cidades do Brasil e na nossa diocese, vários grupos de Folia de Reis saem batendo de porta em porta, cantando, levando a alegria pela Boa Nova do nascimento do Senhor e recordando a visita dos Reis Magos ao Menino Jesus. Trata-se de uma tradição que, mais do que apenas parte do folclore nacional, é uma grande demonstração da religiosidade popular.

A Folia de Reis costuma ter início logo após a celebração do nascimento de Jesus e segue até o dia de hoje, 6 de janeiro, quando a Igreja celebra a Solenidade da Epifania (manifestação) do Senhor. No Brasil, celebramos no domingo passado. É também conhecida como Festa dos Santos Reis, Terno de Reis ou Reisado e foi trazida pelos colonizadores portugueses no século XVIII.

Revestem-se de grande beleza, com músicas, cantos, orações, recitação dos Evangelhos, especialmente das passagens que relatam o nascimento de Jesus, em Belém, desde o anúncio do anjo Gabriel, passando naturalmente pela vinda dos Reis Magos, a fuga da Sagrada Família ao Egito e a sua volta do exílio e a infância de Jesus.

A Folia de Reis reúne cantadores e instrumentistas, usando suas roupas coloridas e com a tradicional bandeira que identifica o grupo. Eles percorrem as ruas, como uma forma de remeter ao percurso feito pelos Magos até encontrarem o Menino Jesus. Ao pararem nas casas, costumam se apresentar em torno do presépio, cantando canções em louvor a Jesus e aos Santos Reis.

As folias caminham de casa em casa, fazendas, vilas, bairros, convidando os fiéis a descobrirem a estrela da graça que leva a Deus como o fizeram os Reis do Oriente. Conta com diferentes figuras que formam o grupo, sendo o líder o Capitão, que carrega a Bandeira. Há outros membros cantam e tocam seus instrumentos musicais, como violas, violões, caixas, pandeiros, também enfeitados com fitas e tecidos coloridos. O grupo ainda é antecedido pelo palhaço, com suas roupas coloridas, máscara e uma espada ou varinha de madeira. É ele o responsável por abrir passagem para a Folia. Em relação a este último, há também um significado específico, pois os palhaços distraem os soldados de Herodes, para facilitar a fuga da Sagrada Família ao Egito.

Outro elemento que demonstra a religiosidade da Folia são as cores, pois cada uma possui o seu próprio simbolismo. Assim, rosa, amarelo e azul, podem representar a Virgem Maria; branco e vermelho, o Espírito Santo.

Vídeo: Folia de Reis, cantando diante do presépio na Paróquia Santa Luzia (Mococa-SP)


Artigos Recentes