MESTRE, ONDE MORAS?

O início do Tempo Comum fala dos primeiros momentos da vida pública de Jesus. Os encontros de Jesus com os discípulos mostram o chamado que faz a cada um deles.

No primeiro livro de Samuel (cf. 1 Sm 3,3b-10-19), no silêncio da noite, Deus chama Samuel cuja vocação é iniciativa misteriosa e gratuita de Deus. O Profeta escuta o chamado de Deus pelo nome e d’Ele recebe uma missão. A voz de Deus se ouve no silêncio da noite e não na agitação do dia. Mas, para se reconhecer os apelos da voz de Deus, só na quarta vez é possível, e não é sozinho, é com a ajuda do sacerdote Eli. Se não responde a Deus, Ele não desiste. Ele insiste. Só quando Samuel diz, “Fala, Senhor, o teu servo escuta!”, é que ele mostra disponibilidade, abertura e entrega aos apelos de Deus. A vocação de Samuel é uma luz para a nossa vocação.

Paulo, na primeira carta aos Coríntios (cf. 1Cor 6,13c-15a.17-20), afirma que, pelo Batismo, o cristão encontra Cristo e se torna templo do Espírito Santo. E esse templo não pode ser profanado.

No primeiro capítulo do Evangelho de João (cf.Jo 1, 35-42) acontece o encontro de Jesus com seus discípulos. Esse encontro é o modelo do chamado cristão que passa pelo testemunho de João Batista que contagia os discípulos. Sozinho, ninguém chega a Jesus. João Batista reconhece Cristo que passa e o propõe a André e Felipe: “Eis o Cordeiro de Deus!” Eles seguem Cristo de longe, tímidos, até que Cristo abre a conversa: “Que procurais?” Eles dizem: “Mestre, onde moras?” Jesus convida-os: “Vinde e vede!” Foram e permaneceram com Jesus todo o dia. No dia seguinte, André leva o irmão Pedro até Cristo. Felipe chama Natanael: “Encontramos o Cristo!” O testemunho do encontro leva a novo encontro com Jesus: de João Batista a seus discípulos, e deles a novos discípulos.

A Vocação pede resposta ao chamado de Deus para seguir Jesus. O seguimento é um caminho a percorrer. “Que procurais?” São as primeiras palavras de Jesus no Evangelho de João. Como discípulos, queremos saber quem é Jesus. O que buscamos? “Mestre, onde moras?” A resposta dos discípulos leva à comunhão com Jesus. Eles não buscam teorias sobre Jesus. Eles querem criar laços de intimidade com Ele. “Onde moras?” Jesus quer esta intimidade: “Vinde e vede!” A resposta é imediata: então eles foram e viram onde Jesus morava. E permaneceram com ele naquele dia.

O discípulo é capaz de reconhecer Cristo que passa e liberta e está disponível a segui-lo no amor e na entrega. Para isso, precisa aceitar o seu convite, entrar em sua casa, viver em comunhão com Ele, testemunhá -lo e anunciá-lo aos outros irmãos. Assim foi Samuel que reconheceu a voz de Deus e acolheu logo. João Batista reconheceu Cristo presente no meio do povo e o indicou como Salvador. Os Discípulos reconheceram Jesus e com alegria o seguiram prontamente e o anunciaram a seus amigos.

Deus nos chama a entrar na Comunidade de Jesus. Cabe a nós ter a mesma disponibilidade de Samuel: “Fala, Senhor, que teu servo escuta!” Cabe a nós ter o mesmo ardor missionário dos primeiros discípulos que foram anunciar aos amigos o tesouro encontrado com entusiasmo.

Dom Antonio Emidio Vilar, SDB

 


Artigos Recentes