MAIS QUE VONTADE !

    Desde muito tempo, celebramos os bons ventos de agosto com a alegria da vida de tanta gente que passou pelo nosso meio com um “jeito especial de ser” e até hoje nos inspira a empregar a nossa vida em fazer o bem florescer ao mesmo tempo que o semeamos.

     O mês de agosto é tão interessante por conta do folclore, da semana de arte moderna, é o mês da Família, das vocações e dos irmãos especiais que nos inspiram cuidado e nos desafiam a viver compaixão e amor. Vocacionados à vida, chamados a amar e a servir ao Amor que nos amou primeiro e nos deu a existência, somos também convocados a corresponder ao amor generoso de Deus assumindo nosso ministério na comunidade -Igreja, família dos filhos e filhas de Deus.

    Vocação é resposta ao chamado que Deus nos faz para servir, cuidar, conduzir e orientar seu povo que é nosso povo; vocação não é vontade de fazer “algo”, mas empenho por fazer o que o “Senhor nos manda”; as vontades passam, a vocação é chamado permanente a amar e servir colocando-nos a serviço dos irmãos, semeando a boa semente através das novas frentes que se abrem através dos meios de comunicação, acudir os mais vulneráveis, socorrer as famílias e
incentivar as pessoas em todos os seus lugares, a ser “terra boa” que recebe boa semente que germina e produz arvore que dá sombra agradável e fruto saboroso, e assim superar o egoísmo e a falta de compaixão que hoje em dia enfraquecem o tecido dos relacionamentos humanos.

    Vocação é um projeto de vida no qual Deus nos dá a “idéia” genial motivada por seu amor que não conhece limite. Ao nos dar a vida, Deus também nos chama a “amar como Ele nos ama” e transformar nossa vida, profissão, sonhos e desejos em atitudes que se correspondam ao Amor que é o próprio Deus, autor de todas as vocações! Amar e servir coroam a vida de quem se deixa conduzir por Deus que é amor! E, como somos livres nas nossas escolhas, podemos sempre ver se o que desejamos fazer corresponde ao Bem para o qual somos convidados a tomar parte por meio de Jesus nosso Senhor, que “de rico que era se fez pobre por amor a nós”.

    Neste agosto nos lembramos do servo de Deus, Dom tomas Vaqueiro que fez de sua vida uma entrega amorosa e feliz a Deus e à nossa Igreja diocesana; semeou o Evangelho, preparou a sementeira das “vocações sacerdotais”, incentivou os leigos a fermentarem o mundo com a fé, a esperança e a caridade, abriu caminhos para o encontro das pessoas com a Igreja que se renovava através do concílio Vaticano II; homem simples, que a todos tratava com carinho, dotado
de um coração espaçoso para o amor, despojado de si e repleto do Bom Pastor.

    Neste agosto, agradeçamos a Deus por tantas vocações suscitadas em nosso meio, tantas boas sementes lançadas em nossa terra, em nosso coração e em nossas famílias.

Pe. João Paulo Ferreira Ielo


Artigos Recentes