A quem nós iremos? 21º domingo ano “B”

Para ser discípulo de Jesus, para ser cristão, só ter vontade não é suficiente. Para ser discípulo é necessário decidir-se por Jesus, ser “atraído” pelo Pai.

         Algumas pessoas murmuravam ao ouvir as palavras de Jesus a respeito de viver em “comunhão com Ele”, de comer a sua carne e beber o seu sangue, não compreendem os sinais do sacramento e afirmam que “é muito dura esta Palavra”!

         Ainda hoje, passados tantos séculos, há pessoas que até rezam, procuram Cristo como se fosse um “rivotril” de consciências, um calmantezinho qualquer, mas não querem compromisso com Ele; até gostam de Jesus, contudo não assumem a fé e nem a Igreja. São os que, passada a “dor de barriga” abandonam Jesus e nem escutam a sua Palavra.

         Josué, antes de tomar posse de Jericó, vendo que o povo e desintegrava, chama a atenção, desperta os desanimados e questiona “a quem quer o povo servir”; “eu e minha casa serviremos ao Senhor”, assevera ele. O povo, então, em uníssono proclama “longe de nós abandonarmos o Senhor”!

         Jesus também aperta os que o seguiam e lhes questiona a respeito de sua credulidade, visto que alguns insistiam em não crer. “Vós também quereis ir embora”? Quando (me) dizem que a Igreja está “perdendo” fiéis, não será porque os que saem, acham a Igreja “exigente”? Ou não aceitam a fé que se vive em comunidade e nem a “seriedade” da Igreja? Nestes tempos difíceis, há gente que tem tempo para tudo, vão a muitos lugares, geram aglomerações desnecessárias, porém, não encontram tempo, não se sentem seguros para ir à missa, acompanhar a catequese dos filhos dentre alguns eventos… Será que não está na hora de respondermos à questão que Jesus nos faz? Será que os que seguem Jesus desejam permanecer com ele e assumir as responsabilidades da fé?

         A resposta de são Pedro é importantíssima! Todos os dias precisamos renovar a nossa opção por Jesus. Pedro não disse que era difícil, ou que tinha medo, e sim que não se encontra vida eterna senão em Jesus!! Onde encontraremos vida, alegria, esperança e salvação, fora da comunidade, longe de Jesus?

         Mais que número, precisamos de cristãos perseverantes, assumidos em sua fé, que tendo encontrado com Jesus O assumem na comunidade e no serviço aos irmãos e irradiam a “alegria do Evangelho”.

         As palavras de Jesus “são Espírito e Vida”, nos consolam, encorajam e entusiasmam a perseverar na fé e na vida da comunidade-Igreja.

         “A quem nós iremos”? Há também os que pulam de galho em galho, que por qualquer capricho emburram, fazem chantagem, ameaçam não vir mais… Esses precisam passar de uma fé infantil para uma vida de fé adulta, que reconhece o Cristo e o testemunha aos irmãos, que encontra no Evangelho a Palavra da Vida Eterna, o Cristo de Deus.

         “Nós cremos e sabemos que tu és o Cristo de Deus” (Jo 6,69)

Pe. João Paulo Ferreira Ielo


Artigos Recentes