Sem exclusividade e sem ciúme

Diversas vezes ouvimos dizer que “tudo em excesso faz mal”. Zelo excessivo torna-se obsessão, fanatismo perigoso que não serve para unir e sim para destruir. Até o excesso de zelo dos apóstolos mereceu repreensão de Jesus! “Vimos um homem curando em teu nome, mas proibimos porque ele não anda conosco”! E a resposta[1]ensinamento de Jesus é profundamente sábia:- “Não o proíbam. Ele não pode falar/fazer o bem em meu nome e depois falar mal de mim pelas costas”!

O olhar de Jesus nos leva a compreender que o amor e a bondade de Deus se dirigem a todas as pessoas e que esse amor não obedece aos nossos caprichos pois Deus ama a todas as pessoas e nos provoca a ser assim também. Precisamos construir mais pontes que muros! Quem fala o nome de Jesus, quem invoca seu nome não pode querer formar um “clube” exclusivo, um “fã clube” de Jesus; não podem ser divididos os que crêem em Jesus. O corpo de Cristo é um “todo” e o pronome que define os discípulos de Cristo é o “nós”, não o “eu”. O corpo de Cristo que nós formamos não aceita exclusões; não há no mundo alguém que seja “dono” de Jesus.

“Não os proibais”! Não há mal em invocar o nome de Jesus para fazer o bem; pelo contrário, o mal está em não viver a unidade e nem trabalhar por ela; o mal está nos que invocam Jesus e não estão unidos com seus irmãos; mal altamente inflamável está nas intrigas que produzem discórdias e que alimentam desavenças, fofocas falta de respeito que explode em muita violência.

Nossos olhos, mãos e pés, são extremamente importantes em nossos corpos; precisam estar bem para bem nos conduzir. Olho doente faz o restante corpo se enganar. Para evitar o mal, não basta arrancar o olho mau, a mão leve ou o pé torto. Não é suficiente cortar, jogar fora, mas é preciso não consentir nem compactuar com a maldade nem a injustiça. O olhar revela nossa intenção, talvez julgamento, mau desejo… Mudar a forma de ver as pessoas e as coisas nos ajuda mais que arrancar nossos olhos. As mãos podem se estender para ajudar, servir ou agredir… e os pés se não andam por caminhos de virtude, se se enganam no caminhar pode nos fazer cair…

E as recompensas prometidas aos discípulos de Cristo vêm para quem pratica a caridade com generosidade e vive na verdade. Primeiro, não escandalizar os pequeninos! Divisões, ciúme, intriga são o grande escândalo, um grande estrago na túnica de Cristo. Um copo de água fria, um gesto de bondade movido por um coração bom, comove o coração amoroso de Deus.

Cuidemos de evitar o escândalo da divisão e da discórdia. Os que não estão conosco, mas conhecem Jesus Cristo, devem fazer o bem conforme Ele ensinou! Quem é cristão age sempre motivado pela verdade e repleto da caridade. Não é cristão quem não ajuda a construir a unidade, quem não colabora com os irmãos só porque não estão no “nosso” grupo ou porque não somos o destaque. Destaque é bom na escola de samba!

“No crepúsculo da vida, seremos julgados pelo amor”! (S. João da Cruz)

Pe. João Paulo Ferreira Ielo


Artigos Recentes