OUTUBRO MÊS DAS MISSÕES

O mês de outubro começa com a comemoração de Santa Teresinha do Menino Jesus, que é reconhecida pela Igreja, como a padroeira das missões. A primeira atitude do missionário deve ser a mansidão. O anúncio da Boa Nova é um anúncio de paz, que leva aos mais necessitados a misericórdia que vem do Senhor. Deus que é Pai das Misericórdias, enviou o seu próprio Filho para evangelizar os pobres, sarar os de coração contrito, anunciar o ano da graça e levar a salvação a todos os povos. O Mês das Missões deve lembrar a cada um de nós, que é missão de todo batizado ser evangelizador. Não é cristão de verdade quem não fala de Cristo e da Igreja, quem não se põe a serviço da mesma.

O Batismo nos faz membros do Corpo de Cristo, da Igreja, e assim, participantes da sua Missão de salvar o mundo,  evando-o para Deus, por meio da vivência dos ensinamentos de Jesus.”( Prof. Felipe Aquino)

Outubro também é o mês e Nossa Senhora, a mais santa de todas as mulheres. Falando tão pouco e de modo tão suave, ela dizia tudo no silêncio de seu coração. Nossa mãe Maria quer os cristãos unidos e solidários como uma grande família… Quem medita e conhece o Evangelho sabe que Jesus e Maria nutriam especial predileção pelo silêncio, pelos lugares desertos. Silêncio é terapia, calmante, reconforto, reabastecimento psicológico, físico e espiritual.

Uma Igreja em missão é de responsabilidade de todo cristão.

Ser missionário é assumir a graça recebida a partir do Sacramento do Batismo. Nossa identidade como Igreja se dá em sermos Discípulos-Missionários de Jesus Cristo, conforme, nos lembra, o Documento de Aparecida, assim, seremos a “Igreja da atração” – a serviço da vida. Assim se caracteriza o mês de de outubro na Igreja, como o mês missionário, recordando esta tarefa evangelizadora como marca do cristão. O Papa Francisco, logo no início do seu pontificado, convocou toda a Igreja a viver num estado permanente de missão, isto é, ser a “Igreja em Saída”, que promove a cultura do encontro, cura as feridas, vai às periferias, aos campos, lugares que não se conhece a Alegria do Evangelho.

Discipulado e missão são inseparáveis! À luz da Palavra de Deus e através de sua leitura orante estaremos abertos ao Espírito que age em nós e nos envia formando um povo em comunhão. Hoje, é necessário um novo impulso na atividade missionária da Igreja para enfrentar os desafios de anunciar Jesus.

Chegar às periferias, aos ambientes humanos, aos ambientes culturais e religiosos ainda alheios ao Evangelho: nisto consiste o que chamamos missio ad gentes (significa conhecermos de fato que somos uma só família com a responsabilidade de cuidarmos uns dos outros. Fazer a experiência de um Deus que é pai, que dá a vida por amor em Jesus Cristo, fazendo de nós uma só família) E recordar que o coração da missão da Igreja é a oração.

Neste mês missionário, rezemos para que o Espírito Santo suscite uma nova primavera missionária para todos os batizados e enviados pela Igreja de Cristo.

Deixemos que o Senhor nos guie!

Ana Lúcia Ferreira Betin
Coordenadora diocesana de Liturgia


Artigos Recentes