“Eu vos dei o exemplo” | Quinta feira Santa

Iniciando a celebração do Tríduo Pascal, nos sentamos à mesa com o Senhor que nos ama sem impor condições. “Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim” !

O amor de Jesus não tem limites e sua entrega amorosa nos dá a graça de “passar” da morte para a vida, da escravidão para a liberdade. Jesus é o cordeiro pascal; Ele nos liberta definitivamente e nos ensina a amar e servir e que amar e servir é tomar o último lugar.

Ao instituir o Sacerdócio católico deixa bastante claro que amor e autoridade se tornam serviço e entrega da vida em favor dos irmãos. O sacerdócio dos padres encontra sua grande razão de ser no serviço
aos irmãos que formam o “corpo de Cristo”, a comunidade-Igreja. A missão dos padres é também entusiasmar aos irmãos e irmãs a viver no “hoje” de nossa vida o Evangelho de Cristo.

O gesto de lavar os pés dos apóstolos não foi um jogo de cena para impressionar a platéia, mas foi o sinal claro de que amar e servir se tornam sinônimos na prática de nossa fé; lavar os pés significa também e principalmente realizar um serviço generoso e cheio de amor sem reclamar recompensa; é “fazer o que Jesus fez” !

A Eucaristia que alimenta nossa vida, nosso amor e nossa alegria, Jesus a institui na Ceia Pascal recorda-nos que somos peregrinos, estamos também de passagem, pessach, páscoa. Comungar Cristo é aceitar que o amor é a resposta para o nosso hoje marcado por tanta dor e sofrimento. O corpo de Jesus entregue por amor a nós e seu sangue derramado pela nossa salvação nos desafiam a amar e servir nossos irmãos. Comungar o “cordeiro pascal” é o mesmo que tomar parte na sua vida e continuar a sua missão; é eliminar todo tipo de ódio e violências, é ser irmãos no serviço, não na ambição por primeiros lugares, é nos despojar de todo orgulho e poder.

Mais importante no Reino é quem serve, quem se faz servidor, visto que o Mestre “está entre nós como aquele que veio servir”, não dominar.

O amor, o amar é que acalentam nosso coração. Quem ama é muito mais feliz. Esse é o ensinamento de Jesus para nós, seus discípulos a fim de curar nosso mundo e nossa sociedade doentes pela pandemia crônica da falta de amor.

“Eu vos dei o exemplo para que façais a mesma coisa”! (Jo 13,15)

Pe. João Paulo Ferreira Ielo


Artigos Recentes